Negócios

Twitter adota licença paternidade de 20 semanas no Brasil

Twitter adota licença paternidade de 20 semanas para seus funcionários no Brasil (Getty Images)

Twitter adota licença paternidade de 20 semanas para seus funcionários no Brasil (Getty Images)

O Twitter anunciou hoje (4) a adoção da licença paternidade de 20 semanas para os seus funcionários no Brasil. Os pais terão o mesmo período de afastamento do trabalho ao qual as mães que trabalham no Twitter têm direito após o nascimento de seus filhos. A iniciativa, válida também para casos de adoção, faz parte de uma série de ações da empresa voltadas à qualidade de vida e à equidade de gênero.

O programa, que teve início nos EUA em maio deste ano, está sendo adotado internacionalmente em todos os escritórios do Twitter e passa a valer também para os funcionários que trabalham no Brasil, divididos entre Rio de Janeiro e São Paulo. “O benefício está em linha com a cultura de trabalho no Twitter, que valoriza a flexibilidade e o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. Isso facilita a priorização da família neste momento importante e a participação igualitária de pais e mães na vida dos filhos, colaborando também para a reintegração das mulheres no retorno ao trabalho e para sua carreira no futuro”, afirma Mariabrisa Olivares, Diretora de Recursos Humanos do Twitter para a América Latina.

VEJA TAMBÉM: Twitter terá stickers para marcar fotos

Com a política, a empresa luta contra esteriótipos de gênero e dos papéis tradicionais dos pais na família, além de promover uma visão sem preconceitos sobre a paternidade, não importa de que forma ela ocorra. Esta é uma abordagem mais inclusiva ao envolver tanto as mães quanto os pais no benefício da licença.

Durante todo o período de amamentação, as funcionárias do Twitter que precisarem viajar a trabalho terão todas as despesas pagas caso desejem fazer o envio de leite materno aos filhos. Nos escritórios da companhia, o Twitter coloca à disposição uma sala exclusiva onde as mães podem amamentar e extrair leite.

Comentários
Topo