Negócios

Conheça o mercado da aviação no arquipélago de Malta

(iStock)

(iStock)

O pequeno arquipélago mediterrâneo de Malta pode não ser um eixo da aviação internacional, mas famosos como Beyoncé, Mariah Carey e Hugh Jackman discordam: todos são usuários de uma linha de aviões registrada em Malta pela VistaJet, a companhia suíça que afirma ser a maior operadora independente de jatos privados da Europa.

Até Zlatan Ibrahimovic, jogador de futebol sueco do Manchester United, foi para a reabilitação médica junto com o time inglês em uma das aeronaves da empresa, de Malta.

LEIA MAIS: 5 maiores mitos sobre hostels

A VistaJet reina sozinha no mercado da aviação maltesa. 28 companhias e 220 aeronaves estão registradas na aviação de Malta, montado seis anos atrás para seguir o sucesso da estratégia marítima do país.

A empresa aérea alemã Lufthansa opera um dos seus mais eficientes centros de engenharia de aeronaves no arquipélago. A família real britânica contratou jatos oriundos do local e da VVB aviações, empresa de propriedade de um dos integrantes da banda de metal Iron Maiden, baseada em Malta.

LEIA MAIS: Empresa apresenta drones inspirados em naves de “Star Wars”

A VistaJet, que registrou seu primeiro jato em Malta em 2013, agora tem 55 aviões, que juntos valem US$ 2,39 bilhões. A empresa também transferiu a sua sede para o local, adicionando 50 funcionários aos 225 já existentes. Em 2012, haviam apenas 80.

O CEO e fundador da VistaJet,Thomas Flohr, diz: “Como uma empresa com rápido crescimento, capacidade de tomar decisões rápidas e velocidade de execução são palavras-chave para nosso trabalho, e isso ajuda bastante a nossa relação com o governo maltês. Um avião novo chegou às 10 da manhã em um feriado. Ao meio-dia, ele estava nos registros.”


LEIA MAIS: 14 atletas mais bem pagos da Olimpíada Rio 2016

A indústria da aviação da ilha foi planejada com base em um processo legal posto em prática pela primeira vez em 2010. Edward Zammit Lewis, ministro do turismo e aviação de Malta diz: “A aviação em si existe em Malta desde 1915, mas o mercado da aviação só existe há 6 anos.”

Zammit Lewis está determinado a aprender com a indústria marítima de Malta, que teve seu boom no final dos anos 1980 e agora é o maior centro de registros de navio do mundo. “Estamos trabalhando para estabelecer uma aglomeração. Estamos procurando atrair mais serviços de aviação que vão, inevitavelmente, criar mais empregos. Nosso trabalho é que a aviação se torne tão importante quanto a indústria marítima maltesa. A estratégia tem sido oferecer serviços e ser eficiente”, afirma Charles Pace, diretor da Transport Malta, a autoridade em transporte na nação.

LEIA MAIS: Designer cria camisetas que detectam poluição

Malta quer ampliar a estratégia que tem impulsionado as suas indústrias marítimas e de aviação em outras áreas. No setor financeiro, a entrada de Malta na União Europeia em 2004 e a FinanceMalta foi formada como uma iniciativa público-privada para promover internacionalmente o centro financeiro do país, focando em bancos, seguros e investimentos em empresas fora do mercado de ações.

“A indústria financeira de Malta já se desenvolveu muito”, diz Kenneth Farrugia, chairman da FinanceMalta. “De uma contribuição de 3% de toda a produção doméstica em 1990, para a 12% e o emprego de 10.000 pessoas.”

LEIA MAIS: Para consulesa da França, racismo segue enraizado no Brasil

A esperança é que a abordagem cautelosa de Malta para o seu crescimento é muito mais maleável e menos catastrófica que o boom de crescimento dos seus vizinhos do Mediterrâneo.

O fundador da VistaJet acredita no sucesso do pequeno arquipélago: “Tivemos outras ofertas atraentes, mas nos sentimos muito bem-vindos aqui. A atitude positiva, a participação na União Europeia e o fato da língua nativa ser o inglês são fatores chave. Acreditamos que podemos fazer ótimos negócios em Malta,” diz Thomas Flohr.

Comentários
Topo