Negócios

Empresa israelense se desliga da Tesla em prol da BMW

(iStock)

(iStock)

A Mobileye, fabricante israelense de softwares e componentes para sistemas, não vai produzir a nova geração da sua tecnologia para a Tesla Motors Inc, de Elon Musk. A notícia veio depois da investigação sofrida pela empresa após acidentes sofridos por usuários do piloto automático da Tesla, que usa tecnologia da companhia israelense, tendo ocorrido uma morte.

Musk diz que já havia previsto o desligamento. A notícia pegou investidores de surpresa, com queda nas ações da Mobileye. Houve uma baixa de 8% nas ações da empresa israelense na Nasdaq.

LEIA MAIS: Nova fábrica da Tesla nos EUA custará US$ 5 bilhões

“A Mobileye continuará fornecendo chips ‘EyeQ3’ para a Tesla, mas, a médio prazo, focará em parcerias mais extensas – assim como uma anunciada esse mês com a BMW e Intel”, disse o cofundador da empresa, Amnon Shashua. “Porém, o nosso trabalho com a Tesla não vai se estender além disso”.

O piloto automático da Tesla, disponível no sedã Model S e no crossover Model S, está sendo avaliado pela National Highway Traffic Safety Administration. O motivo foi um acidente envolvendo o dono de um Model S, morto em uma colisão com um caminhão enquanto usava o programa. Um acidente similar envolvendo um Model X, na Pensilvânia, em julho também está sendo investigado pela agência de segurança.


LEIA MAIS: Nova fábrica da Tesla nos EUA custará US$ 5 bilhões

O bilionário da tecnologia disse aos jornalistas que a decisão da Mobileye “era esperada e não terá qualquer efeito material sobre nossos planos”.

“A habilidade da Mobileye de se desenvolver está, infelizmente, afetada negativamente pelo fato dela ter que apoiar centenas de modelos de montadoras lendárias. A Tesla está cem por cento focada em desenvolver uma plataforma capaz de controlar completamente seu carro enquanto te mantém seguro”, diz Elon Musk.


LEIA MAIS: Aplicativo que recomenda babás fatura mais de US$ 23 milhões nos EUA

Musk quer que a Tesla lidere o mercado de tecnologia para carros autônomos. Semana passada, o empresário apostou alto, publicando um “Plano-Mestre” para a companhia, onde citava um programa de compartilhamento de carros sem motoristas. Essa semana, em Sparks, Nevada, a companhia inaugurou sua giga fábrica, cujo objetivo principal será produzir centenas de milhares de baterias de lítio por ano.

A Mobileye, a BMW e a Intel anunciaram em 1º de julho uma parceria para fabricar veículos totalmente autônomos em 2021.

“No nosso ponto de vista, avançar e desenvolver novas tecnologias para conseguir mais autonomia é uma quebra de paradigma, tanto em termos de complexidade de função quanto à necessidade de assegurar aos nossos usuários que estarão seguros. Há muito em jogo nesse momento – a reputação da Mobileye e a indústria estão em nossas mãos”, diz Shashua.


LEIA MAIS: Apple anuncia venda de seu bilionésimo iPhone

Conseguir isto “exige parcerias que vão além da relação típica entre o fabricante do equipamento original com o fornecedor, como a nossa colaboração recentemente anunciada com a BMW e Intel. A Mobileye continuará a perseguir esse tipo de relação”, afirma Shashua, sem dar detalhes sobre porque a empresa não planejava estender o trabalho com Tesla. Da mesma forma, ele não confirmou a estimativa de um analista que as vendas da Tesla representam apenas cerca de 1% da receita da Mobileye . “Esse ano, a Tesla não estava muito bem quando se tratava de finanças, mas acreditamos que a situação melhorará em 2019. Prevemos que aproximadamente 2% dos lucros de 2019 virão dela”, acrescentou.

Comentários
Topo