Negócios

Entenda a enrascada de mais de US$ 14 bilhões em impostos da Apple

iStock

iStock

A Apple deverá pagar US$ 14,5 bilhões à Irlanda depois de uma decisão da União Europeia de que a companhia norte-americana recebeu benefícios ilegais em suas vendas no país.

A decisão se baseou em isenções fiscais dadas pela Irlanda à Apple em 1991 e em 2007. A comissão investigadora concluiu que a companhia se beneficiou de um pacto fiscal concedido pelo país que diminuiu drasticamente o tamanho da contribuição em impostos que a empresa poderia ter dado.

VEJA MAIS: Apple lança iPhone 7 resistente à água

Em comunicado à imprensa, a comissária de Concorrência da UE, Margrethe Vestager, disse que isso significa um ganho de apenas 50 euros a cada um milhão vendidos pela companhia.

Outra decisão da companhia no país europeu já havia sido questionada em 2013 pelo Senado norte-americano. Na época, a empresa de tecnologia havia retido US$ 100 bilhões em vendas na Irlanda, para que o valor não fosse taxado pelos Estados Unidos ao retornar ao país.

E AINDA: iPhone 6s é o celular mais vendido do mundo

Na audiência, Tim Cook disse que sua companhia é uma das maiores contribuintes nos EUA. E em 2012, pagou cerca de US$ 6 bilhões em impostos ao governo federal.

Comentários
Topo