Negócios

Startup brasileira fatura R$ 30 mi com distribuição independente de vídeos on-line

Samba Group, líder nacional em distribuição independente de vídeos on-line (Pedro Silveira)

Samba Group, líder nacional em distribuição independente de vídeos on-line (Pedro Silveira)

O mineiro Gustavo Caetano tinha tenros 21 anos quando vislumbrou a primeira das diversas oportunidades de negócio que agarrou até transformar sua empresa na maior distribuidora independente de vídeos on-line da América Latina.

Em 2004, quando trabalhava no Rio, tentou baixar jogos no seu primeiro celular colorido e não encontrou nada. Viu aí um nicho de mercado. Apresentou-se a uma distribuidora de games para celular de Londres e voltou de lá com um contrato de exclusividade para a América Latina.

VEJA TAMBÉM: 6 pequenas empresas líderes no Brasil

Surgia então a Samba Mobile, sua primeira empresa, que se tornou uma das pioneiras do pedaço. “Comecei batendo na porta das operadoras. Rapidamente quase todas as empresas de telefonia do México para baixo eram nossas clientes”, recorda Caetano, hoje com 33 anos.

Na mesma velocidade com que a empresa decolou, surgiram concorrentes. “Os games viraram commodity.” Em 2007, o fundador da Samba viu que era hora de saltar para outro galho. E novamente buscou seu lugar ao sol em um nicho prestes a bombar: a comunicação digital.

O YouTube, criado dois anos antes, foi a inspiração para a Samba Tech. Mas era um YouTube para empresas: a proposta era cuidar da gestão e distribuição profissional de vídeos ao vivo e sob demanda de grandes companhias. Mais uma vez, Caetano foi bater às portas de possíveis clientes, e sua primeira parada foi na Band.

RANKING: 70 maiores bilionários do Brasil em 2016

Hoje, a Samba atende oito dos 10 maiores players de mídia do Brasil. “É a estratégia dos pinos de boliche: focar em um mercado, estudar a fundo e apontar nos grandes players.”

Depois da plataforma para a distribuição de vídeos, veio a de ensino à distância. “Nos demos conta de que o vídeo era a base do e-learning. Por isso, adaptamos a plataforma para fazer vídeos para educação.” De novo, a largada foi por cima: o primeiro contrato foi com o grupo Anhanguera.

A Samba Tech acabou ganhando irmãs: a Samba Ads (plataforma para vídeos publicitários para internet) e a Adstream Samba (que permite o envio de campanhas pelas agências às emissoras). Para conduzir os negócios, Caetano tem dois mantras que embutem velocidade: “move fast” (movimente-se rápido) e “fail fast” (falhe rápido). “Acredito que o grande segredo é ser o primeiro a entrar. Para isso, tem que ter agilidade e estar disposto a errar”.

SAIBA MAIS: De onde vêm as fortunas dos bilionários brasileiros em 2016

Eleito um dos 9 jovens empreendedores mais inovadores do mundo pela Business Insider em 2015, Caetano está sempre olhando “a próxima montanha”. Que atualmente é levar a Samba Tech aos Estados Unidos. “Entrar no mercado americano é nosso sonho grande. Depois de ganhar concorrências contra várias empresas internacionais, nos perguntamos: por que não?”

O escritório americano acaba de ser aberto em Seattle — propositalmente perto da Microsoft, que apadrinhou o projeto. Para ganhar o Tio Sam, a Samba Tech desenvolveu um novo aplicativo, um Snapchat corporativo. O aplicativo já está em testes e deve ser lançado em junho.

Comentários
Topo