Negócios

Construção de aeroporto no México provoca embate entre os bilionários Carlos Slim e Rafael del Pino

Getty images

Getty images

Há uma disputa bilionária pela reforma do principal aeroporto da Cidade do México. Empresas do mexicano Carlos Slim e do espanhol Rafael del Pino estão na disputaod pelo consórcio de uma obra que deve durar até 2020 e abranger cerca de 68 milhões de pessoas.

Com o prazo de licitação do novo terminal do aeroporto da Cidade do México, a Infraestructura y Construcción (CICSA), uma unidade do conglomerado global Grupo Carso, de Slim, está perto de fechar um consórcio com a empresa de construções espanhola GCC, quem também pertencem majoritariamente ao bilionário. A rival construtora Acciona, também da Espanha, faz uma oferta concorrente para o projeto de US$ 3,5 bilhões, de acordo com a agência de notícias britânica “Reuters”.

LEIA MAIS: Bilionário Carlos Slim vai analisar compra da Oi, afirma genro

De acordo com o Grupo Aeropuertario de la Ciudad de Mexico, o governo mexicano, encarregado pelo projeto, receberá propostas para a obra até o dia 21 de novembro. O vencedor será anunciado no dia 9 de dezembro.

Arturo Elías Ayub, porta-voz de Slim, não comentou nada sobre os acontecimentos.

O consórcio liderado pela Carso vai enfrentar um grande competidor. A gigante empresa espanhola de infraestrutura Ferrovial, cujo presidente é o bilionário espanhol Rafael del Pino y Calvo Sotelo também está planejando fazer uma oferta para a Cidade do México para participar do projeto do aeroporto.

As credenciais da Ferrovial estão bem estabelecidas. Em 2010, as vendas de US$ 10 bilhões da empresa, que gerencia muitos aeroportos e estradas ao redor do mundo, ganhou a aposta para construir um terminal no Heathrow Airport, em Londres.

O interesse de Slim nesse projeto não é algo surpreendente. O terminal do aeroporto futurístico foi desenhado por Fernando Romero, genro do bilionário, que é a sexta pessoa mais rica do mundo, e pelo arquiteto britânico Norman Foster. Slim, que possui negócios nos setores de telecomunicações, mineração, imobiliário, bancário e varejo, é um candidato de muito potencial desde o anúncio do projeto dois anos atrás.

VEJA TAMBÉM: 5 maiores bilionários ganham US$ 6,4 bi com previsão de vitória de Hillary

Na realidade, as notícias sobre as apostas para o terminal, que, de acordo com o jornal possuem uma expectativa de abranger 68 milhões de passageiros por ano e que pretende ser inaugurado em 2020, apareceram logo após a CICSA ganhar a oferta para construir uma das pistas da Cidade do México por US$ 13 bilhões no novo aeroporto internacional, projeto muito prezado pelo presidente mexicano Enrique Nieto.

A CICSA vai compartilhar a construção da pista com a GIA+A, a Promotora e com a Peninsular, que pertencem, respectivamente, aos empreendedores mexicanos Hipólito Gerard, Olegario Vazquez Aldir e o bilionário Carlos Hank Rhon, quinto mais rico do país.

Apesar dos cortes bruscos no orçamento do México, que são resultados da diminuição da receita provinda do petróleo, o projeto do aeroporto se manteve intacto.

Ele continua a ser visto caso o consórcio de Slim prevalecer. Mesmo que sua companhia tenha adquirido “alguns” contratos, de acordo com o porta-voz de Slim, o bilionário não possui uma boa relação com a administração da Penã Neito. Os analistas acreditam que ele tenha sido excluído significante de contratos com o governo, enquanto há o favorecimento de seus concorrentes no setor empresarial.

Comentários
Topo