Negócios

Irmãos fundam startup e se tornam os bilionários mais novos do mundo

Aos 26 anos, John Collison é o bilionário que fez sua própria fortuna mais novo do mundo (Getty Images)

Aos 26 anos, John Collison é o bilionário que fez sua própria fortuna mais novo do mundo (Getty Images)

Os cofundadores da Stripe, companhia de pagamentos online, entraram no ranking dos bilionários mais novos do mundo depois da empresa anunciar uma nova rodada de financiamento na semana passada, que avaliou a startup em US$ 9,2 bilhões.

Aos 26 anos, John Collison, presidente da Stripe, é o bilionário que fez sua própria fortuna mais novo do mundo. Ele é dois meses mais novo do que o cofundador e CEO do Snapchat, Evan Spiegel, que também tem 26 anos. O CEO da Stripe, Patrick Collison, 28, e o cofundador do Snapchat, Bobby Murphy, 28, são os outros únicos bilionários que fizeram sua própria fortuna com menos de 30 anos. A mais jovem bilionária do mundo é a norueguesa Alexandra Andresen, de 20 anos, que herdou uma participação de 42% na empresa de investimentos da família, a Ferd, junto com sua irmã, também bilionária, Katharina Andresen, de 21 anos. As irmãs têm uma fortuna de US$ 1,2 bilhão.

RANKING GLOBAL: 70 maiores bilionários do mundo em 2016

Os irmãos Collinson se juntaram a outros seis bilionários irlandeses da lista de FORBES dos mais ricos do mundo, e agora são os bilionários mais novos do país, mesmo que ambos morem e trabalhem em San Francisco. O magnata da construção, Pallonji Mistry, 87 anos, é o bilionário mais rico da Irlanda com uma fortuna de US$ 13 bilhões.

Patrick Collison e John Collison têm um patrimônio líquido de pelo menos US$ 1,1 bilhão cada, depois que a Stripe, baseada em San Francisco, arrecadou US$ 150 milhões do CapitalG, uma divisão de investimentos da companhia-mãe do Google, a Alphabet, e da General Catalyst Partners. Com o último investimento, o valor da startup quase dobrou. Em julho de 2015, uma rodada de angariação de fundos avaliou a empresa em US$ 5 bilhões.

RANKING NACIONAL: 70 maiores bilionários do Brasil em 2016

Antes da última rodada, os Collison possuíam cerca de 30% da Stripe, de acordo com uma fonte próxima à empresa. Depois do investimento de US$ 150 milhões, FORBES estima que cada irmão tem pelo menos 12% da companhia. Um porta-voz da Stripe se negou a comentar sobre as ações da companhia dos Collins e a fortuna deles.

A Stripe, que é uma empresa privada, processa pagamentos online para clientes como a Lyft, Kickstarter e Wish. A companhia não divulga sua receita, mas fontes da indústria estimam que eles processaram uma quantia de aproximadamente US$ 20 bilhões em 2015. Para cada transação que eles processam, a companhia recebe 2,9% do valor, e mais US$ 0,30, o que gerou uma receita estimada em US$ 450 milhões em 2015. O jornal norte-americano “The Wall Street Journal”, primeiro a informar sobre a rodada de financiamento da Stripe, afirmou que o crescimento do volume de pagamentos da companhia espera exceder em 40%, de acordo com uma pessoa familiarizada com o assunto.

VEJA TAMBÉM: 30 bilionários mais jovens do mundo em 2016

A Stripe é a segunda companhia dos irmãos. A primeira empresa foi a Shuppa, que se fundiu com outra pequena startup, a Auctomatic, empresa que constrói softwares para vendedores do eBay, em 2008. Os irmãos fizeram faculdade nos Estados Unidos. John foi para Harvard e Patrick para o MIT, mas ambos abandonaram seus cursos para se dedicarem ao que mais tarde se tornaria a Stripe.

“Ainda bem que até agora houve sucesso, mas ainda não atingimos os objetivos que estabelecemos para nós mesmos”, afirmou Patrick Collinson para FORBES em janeiro de 2016. “Se alguém já acredita que a Stripe já os atingiu, isso seria extremamente problemático para nós”.

Comentários
Topo