Negócios

Como Frederico Trajano tem conduzido o Magazine Luiza em tempos de crise

Frederico Trajano Inácio Rodrigues é CEO do Magazine Luiza (Letícia Moreira)

Frederico Trajano Inácio Rodrigues é CEO do Magazine Luiza (Letícia Moreira)

Planejamento. Com esta única palavra, Frederico Trajano Inácio Rodrigues – ou Fred Trajano, para os amigos – define a estratégia que implementou na empresa sob seu comando para blindá-la contra um período que prometia duros desafios.

“O segredo foi entrar em 2016, um ano que sabíamos que seria difícil, preparados para performar nessas condições. Fizemos um processo de ‘granularização’ das vendas, procurando micro-oportunidades de crescimento.” Como assim? “Por exemplo, comparando duas cidades semelhantes: em uma éramos líderes na venda de lavadoras, na outra tínhamos pequena participação. Ou seja, nessa segunda cidade havia oportunidade de crescimento na venda de lavadoras. Fizemos isso com todos os produtos, em todas as nossas lojas. Assim tivemos um drive de onde deveríamos focar nossos esforços de vendas. Isso nos rendeu resultados impressionantes.”

LISTA: 10 melhores CEOs do Brasil abaixo dos 40 anos

O filho mais velho (hoje com 40 anos) de Luiza Trajano, líder histórica do Magazine Luiza, preparou-se bem para assumir o cargo de CEO da empresa e comandar seus 19 mil funcionários. “Fiz graduação em administração de empresas na FGV, em São Paulo, e especialização na Universidade Stanford, nos EUA. Iniciei minha carreira como analista de investimentos do Deutsche Bank, onde trabalhei por quatro anos.” Ele entrou na empresa da família em 2000 para implantar as operações de comércio eletrônico. Em 2003, assumiu a diretoria de Vendas e Marketing. De 2010 a 2015, foi diretor de Operações, englobando as áreas de Vendas, Marketing, Logística e TI. “Em 2013 fundei o Luiza Labs, laboratório de tecnologia e inovação, com o objetivo de contribuir para a estratégia de transformar o Magazine Luiza em uma empresa digital, com pontos físicos e calor humano”, lembra.

Frederico assumiu a presidência do grupo, avaliado em R$ 2 bilhões, em janeiro. E já tem números para mostrar: “Estamos colhendo alguns frutos de nossa estratégia acertada de e-commerce. Crescemos 30%, enquanto o mercado cresceu 5% – algumas companhias até caíram”.

VEJA TAMBÉM: 11 dicas para crescer durante a crise, por Caito Maia

E o que esperar de 2017? Fred se diz moderadamente confiante. “Existe uma demanda reprimida de vendas. O indicador do varejo caiu mais do que a economia; isso mostra que o consumidor foi bem conservador no período de maior insegurança. Com a volta da confiança na economia, a expectativa é de que ele volte a adquirir os bens de que necessita.”

Ao falar de sua trajetória, ele homenageia seus mentores: “Tive algumas grandes referências em minha vida profissional: Marcelo Silva (ex-CEO do Magazine Luiza); Luiza Trajano (a mãe) e Luiza Helena (a tia); e meu pai, Erasmo Rodrigues”. Ele detalha: “De Marcelo Silva tirei uma série de exemplos de como ser um bom profissional, um bom executivo, da integridade que deveria ter no cargo e de como enfrentar minhas responsabilidades. De minha mãe e minha tia recebi a veia empreendedora e a coragem que deveria ter no comando dos negócios. E meu pai – assim como minha mãe – é meu maior exemplo de pessoa, de ser humano. Eles formaram quem eu sou”. Os olhos de Fred também brilham ao falar da esposa, Karen, e dos três filhos, Rafaela, Enrico e Maya. “Um homem é produto de suas referências. Para conhecê-lo, nada melhor do que observar as características e a personalidade daqueles que o inspiram.”

Comentários
Topo