Negócios

A história por trás da Genesis, nova marca global de carros de luxo

Genesis

O New York Concept, sedan esportivo híbrido da Genesis (Reprodução/FORBES)

Peter Schreyer é uma figura muito conhecida no mundo do design de automóveis. Uma mera menção ao seu nome e as pessoas já manifestam admiração, já que ele foi o responsável pelo TT original – o Audi 1998 conhecido por sua simplicidade, design clean e estilo Bauhaus.

Atualmente, como diretor criativo da Hyundai-Kia e um dos três presidentes da companhia, Schreyer tem sido fundamental. Sob seus olhos astutos, a companhia sul-coreana se transformou em uma grande marca de carros, com um portfolio inspirador capaz de competir com rivais mais antigos e mais bem estabelecidos no mercado. Entretanto, nos últimos tempos, o executivo tem estado ocupado inventando uma nova marca global de luxo, a Genesis.

LEIA MAIS: 8 lançamentos de carros de luxo no Brasil em 2016

“Recentemente um jornalista me perguntou se o mundo precisava de outra marca de luxo. Eu não sei se precisa, mas a Hyundai quer”, lembra, sorrindo. A economia sul-coreana está florescendo, assim como a montadora. “É tempo de construir algo especial no auge. Isso se encaixa com a mentalidade coreana.”

A Genesis está sendo desenvolvida, principalmente, para os mercados dos Estados Unidos, Coreia do Sul, Oriente Médio e China, com o mercado europeu na sequência. A ideia é entregar seis novos modelos antes de 2020. O G90 e o G80 já foram lançados, e haverá um G70 seguido por duas SUV’s e um esportivo coupé.

LEIA TAMBÉM: Conheça Omanya: o rali dos super-carros

“Há uma dualidade na Coreia do Sul. Por um lado, as pessoas são muito ousadas, mas também são pensadoras estratégicas”, complementa Schreyer. É uma cultura profundamente enraizada na tradição e no artesanato, mas tem um lado da hipermodernidade que pesa muito. “Os equipamentos eletrônicos, a tecnologia, a arte, a moda, a música K-Pop… Há uma vibração em Seul. Consciente ou inconscientemente, tudo isso influencia os designers.”

A Genesis está sendo desenvolvida, principalmente, para os mercados dos Estados Unidos, Coreia do Sul, Oriente Médio e China

Schreyer admite que está muito ciente da urgência de repensar os automóveis para as gerações mais novas, que não estão tão conectadas com os fortes conceitos tradicionais de luxo. “Esse é um assunto muito interessante para nós: como usar construções inteligentes, como expressar os luxos da modernidade.” Atualmente, sua equipe está trabalhando com estudantes dos prestigiados London Royal College of Art, em Londres, e Art Centre College, na Califórnia, na pesquisa por novas maneiras de exteriorizar luxos que são, de acordo com ele, mais emocionantes e gratificantes.

E TAMBÉM: Indiano gasta US$ 9 milhões para escolher placa de carro

Recentemente, Schreyer contratou o antigo chefe de design da Bentley, Luc Donckerwolke, como chefe do Centro de Design de Motores da Hyundai, e Manfred Fitzgerald, que era da Lamborghini, para atuar como diretor de estratégia de marca da Genesis. O forte time de design traduz a esperança da Hyundai-Kia na nova marca.

“Como a Genesis é algo completamente novo, ainda estamos trabalhando nela. Tentamos não copiar outras marcas, mas sim fazer a nossa própria história”, afirma Schreyer. O New York Concept, o sedan esportivo híbrido revelado no Nova York Auto Show do ano passado, é um bom exemplo desta filosofia de design. Ele formará a base do G70, e Schreyer admite que alguns elementos também farão parte dos futuros carros da Genesis. “Este é um bom projeto, nós desenhamos uma nova marca do modo que achamos que ela deveria ser. Temos uma boa oportunidade. A Genesis é algo completamente diferente”, afirma Schreyer.

Comentários
Topo