Negócios

WEG tem queda de 15,8% no lucro do 4º trimestre

WEG tem queda de 15,8 por cento sobre o resultado obtido no mesmo período do ano anterior (Divulgação)

WEG tem queda de 15,8 por cento sobre o resultado obtido no mesmo período do ano anterior (Divulgação)

A fabricante de motores elétricos e tintas industriais WEG teve lucro líquido de R$ 323,2 milhões no quarto trimestre de 2016, uma queda de 15,8% sobre o resultado obtido no mesmo período do ano anterior.

Já a geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) subiu 4,9%, para R$ 400,6 milhões. A margem no período ficou em 16,9% ante 14% no último trimestre de 2015.

A WEG apurou receita operacional líquida de R$ 2,377 bilhões de outubro a dezembro, queda de 13,1% na comparação anual. Do total, o mercado interno correspondeu a R$ 1,069 bilhão, ou 45% do faturamento, e o externo por R$ 1,308 bilhão, ou 55%.

LEIA MAIS: Catarinense WEG ganha mercado internacional graças à inovação

O custo dos produtos vendidos (CPV) caiu 16,4% na mesma base, para R$ 1,675 bilhão, enquanto as despesas com vendas, gerais e administrativas encolheram 11,4%, para R$ 343,3 milhões.

“Os ajustes de capacidade permitiram que, mesmo com desempenho de receitas ainda abaixo do ideal, houvesse melhor diluição de custos fixos e de transformação”, disse a companhia no material de divulgação do balanço.

O resultado financeiro líquido ficou positivo em R$ 47,6 milhões, inferior aos R$ 79 milhões positivos do último trimestre de 2015. Ao fim de dezembro, a WEG tinha caixa líquido de R$ 458,9 milhões, ante dívida líquida de R$ 356,954 milhões no fim de 2015.

VEJA TAMBÉM: WEG, a empresa que saiu de pequena cidade catarinense para mais de 10 países

A fabricante de motores elétricos e tintas industriais investiu R$ 82,5 milhões no quarto trimestre, sendo R$ 54,6 milhões no exterior e R$ 27,9 milhões no mercado doméstico.

No acumulado de 2016, a companhia desembolsou um total de R$ 325,5 milhões em expansão e modernização da capacidade, dos quais 71% em parques industriais e instalações fora do Brasil.

(Por Gabriela Mello)

Comentários
Topo