Negócios

Aumento das vendas no e-commerce vai ser maior que o das lojas físicas no Dia das Mães

iStock

Expectativa é faturar R$ 1,73 bilhão entre 29 de abril e 13 de maio (iStock)

O e-commerce dá sinais de que deve continuar a registrar aumento de vendas neste ano no Dia das Mães. A estimativa é por uma movimentação de R$ 1,73 bilhão entre 29 de abril e 13 de maio, uma alta de 7% em relação a 2016, quando os números fecharam em vendas de R$ 1,62 bilhão. “Apesar do desemprego, 2017 vai ser melhor”, avalia Pedro Guasti, CEO da Ebit, empresa que monitora o comércio eletrônico brasileiro. Espera-se, também, uma expansão de 3% no número de pedidos, que passariam de 4,036 milhões para 4,155 milhões.

LEIA TAMBÉM: Por que os feriados prejudicam as vendas no e-commerce

O executivo aponta que, no mesmo período do ano passado, o cenário era de incertezas econômicas devido ao impeachment de Dilma Rousseff e uma taxa de inflação mais elevada. Atualmente, a confiança dos consumidores aumentou, mas ainda não é o suficiente para retomar o volume de vendas registrado entre 2003 e 2013, quando a taxa de crescimento era de 30% ao ano.

O valor médio das compras deve ser de R$ 416 no e-commerce, uma alta de 3,5% em relação a 2016

O valor médio das compras também deve registrar uma elevação no Dia das Mães deste ano, passando de R$ 402 para R$ 416, uma alta de 3,5%. “O ticket médio é maior do que no varejo tradicional devido à cesta de consumo no e-commerce”, explica Guasti, explicando que 60% do volume financeiro do comércio eletrônico vem das vendas de eletrodomésticos, celulares e eletrônicos.

Movimento nas lojas físicas

Já a projeção das lojas físicas é diferente. De acordo com a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo (FCDLESP), entidade que representa mais de 150 mil comerciantes (a maioria de micro e pequenas empresas), as vendas devem seguir o mesmo patamar do ano passado, talvez, no máximo, registrar uma alta entre 1% e 2%. “O país passa por um momento de transformação e de transição em que o varejo é um dos setores mais afetados da economia”, afirma Mauricio Stainoff, presidente da FCDLESP.

VEJA TAMBÉM: 30 dos mimos mais luxuosos do mundo para o DIA DAS MÃES

Mesmo assim, ele afirma que os lojistas estão um pouco mais confiantes neste Dia das Mães em relação ao do ano passado, acreditando também na recuperação da economia e das vendas. Os fatores apontados pelo presidente da entidade estão relacionados à liberação das contas inativas do FGTS e as menores taxas de juros e de inflação em 2017.

Comentários
Topo