Negócios

Itaú Unibanco negocia participação minoritária na XP Investimentos

iStock

Banco confirma as negociações em fato relevante enviado à CVM (iStock)

O Itaú Unibanco confirmou, por meio de fato relevante distribuído nesta quarta-feira (10) à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que está negociando com a XP Investimentos a compra de uma participação minoritária. Se confirmada, a transação não implicará em alteração de controle na corretora.

LEIA MAIS: BB registra queda e Itaú vira o maior banco do país por ativos

“O Itaú Unibanco Holding S.A. esclarece a seus acionistas e ao mercado em geral que vem mantendo discussões com a XP Investimentos S.A. em relação à aquisição de participação acionária minoritária na empresa que não ensejará alteração de controle”, diz o texto, assinado pelo diretor de relações com investidores do Itaú, Marcelo Kopel.

A XP está prestes a abrir o capital na Bolsa de Valores e, em nota, confirmou a manutenção dos planos

No mesmo comunicado, o banco ressalta que, até o momento, não foi fechado nenhum acordo, e que, assim que as negociações forem concluídas, comunicará o resultado ao mercado. A especulação sobre a oferta do Itaú na corretora teve início nesta terça-feira (09). Algumas publicações nacionais chegaram a falar em porcentagens de 49,5%, adquiridas por valores que passam de R$ 6 bilhões.

IPO

A XP possui, atualmente, 230 mil clientes e distribui R$ 65 bilhões. Em nota, a corretora disse que mantém o plano de abertura de capital na Bovespa sem descartar, no entanto, a entrada de um sócio minoritário. “A XP Investimentos avalia, constantemente, alternativas para sua expansão. Conforme previsto, a empresa segue com o processo de abertura de capital junto à CVM.” A corretora acrescentou que não considera a possibilidade de venda ou mudança de controle.

VEJA TAMBÉM: Itaú Unibanco e Multiplus lançam cartão conjunto de olho em alta renda

Especialistas estimam que a corretora tenha um valor de mercado entre R$ 12 bilhões e R$ 14 bilhões e que possa movimentar, com o IPO, cerca de R$ 4 bilhões.

Comentários
Topo