Negócios

Demanda por novos modelos pode ajudar na recuperação da Adidas nos EUA

iStock

Adidas fez um forte retorno nos EUA, superando rivais como a Under Armour e a Nike (iStock)

A Adidas está otimista de que a forte demanda por novos modelos de calçados irá impulsionar sua recuperação no mercado norte-americano, mesmo que a popularidade de clássicos como Superstar e Stan Smith diminua, disse à Reuters o chefe da companhia para América do Norte.

LEIA MAIS: Novo tênis da Adidas é feito de plástico recolhido dos oceanos

Depois de ter passado um período sem brilho, a Adidas fez um forte retorno nos EUA, superando rivais como a Under Armour e competindo com a líder do mercado nos Estados Unidos, a Nike.

Os modelos retrô Superstar da Adidas foram os tênis mais vendidos nos Estados Unidos no ano passado e marcaram a primeira vez que um produto da Nike não estava no topo em mais de uma década.

A Adidas quase dobrou sua participação de mercado para 9% no setor de calçados nos EUA nos 12 meses encerrados em abril de 2017, de acordo com a empresa de pesquisa NPD.

A Nike continuou bem na frente, mas sua participação no mercado caiu para 50% contra os 52% anteriores.

VEJA TAMBÉM: Pesquisa revela as melhores empresas do mundo da moda

No ano passado, as vendas da Adidas na América do Norte cresceram 24%, para € 3,41 bilhões, seu melhor resultado já registrado.

Alguns analistas, contudo, têm questionado a sustentabilidade desse rápido crescimento.

Há preocupações de que a Adidas possa apostar demais nas tendências da moda inconstantes para impulsionar o crescimento nos Estados Unidos, e não em sapatos esportivos de desempenho, onde fica atrás da Nike por uma ampla margem.

Mark King, presidente da Adidas na América do Norte, disse à Reuters, no entanto, que vê as rápidas mudanças de tendências da moda como uma oportunidade, mas que o foco da companhia continuava sendo seu negócio principal: calçados de desempenho para atletas de futebol, beisebol, basquete, golfe e futebol americano.

E MAIS: 25 atletas mais bem pagos de 2017

Ele disse que a empresa melhorou a gestão das variações da demanda para os seus calçados mais populares e que estava tomando cuidado para não saturar o mercado.

(Por Gayathree Ganesan e Siddharth Cavale)

Comentários
Topo