Negócios

Jovem de 23 anos revoluciona a indústria das unhas postiças

Reprodução/Forbes

Alexis Irene, fundadora da Static Nails (Reprodução/Forbes)

Alexis Irene, de 23 anos, é a fundadora da Static Nails, uma empresa de manicure criada no dormitório da sua universidade. O negócio surgiu a partir de um kit para fazer as unhas em casa que inclui apliques reutilizáveis, que aderem por meio de uma cola que não causa danos às de verdade e que podem ser utilizados por 18 dias (ou reaplicados até seis vezes). Lançada em 2016, a Static Nails arrecadou US$ 500.000 em vendas nos primeiros seis meses de operação graças a parcerias com revendedores como Sephora e HSN.

LEIA TAMBÉM: Manicure mais cara do mundo pode chegar a R$ 78 mil

“Há cinco anos, eu tive minha primeira ideia inovadora, que passava por consertar tudo que as mulheres odeiam nas manicures”, conta ela. “Naquela época, pintar a unha do dedo anelar de uma cor diferente era tendência e a arte nas unhas estava prestes a estourar. Eu estava fuçando no Instagram quando me deparei com uma intrigante unha com rosquinhas em 3D. Foi aí que surgiu a ideia da Static Nails.”

A Static Nails foi lançada no aniversário de 21 anos de Alexis. Uma semana depois, ela recebeu uma ligação da Kendo, marca de beleza por trás da Ole Henriksen e da Marc Jacobs Beauty

Alexis conta que percebeu que ter unhas que impressionassem não era, então, algo acessível, a menos que se morasse em Hollywood. “Encontrar uma manicure realmente talentosa era difícil e conseguir que suas unhas fossem bem feitas consumia tempo, provocava um cheiro desagradável, prejudicava as originais e ainda custava caro. Como resultado desse tempo, dinheiro e esforço gastos, o esmalte mancharia e lascaria dois dias depois. Ou as unhas naturais ficariam destruídas em prol da colocação de versões em gel ou acrílico”, lembra.

A empreendedora sentiu que, na época, as únicas opções para unhas coladas eram as marcas de farmácias, com cores limitadas ou na versão “francesinha”. “Eu aproveitei essa oportunidade para transformar uma categoria negligenciada em um acessório de moda cobiçado”, afirma Alexis. “Criei o nome Pop Ons, para me diferenciar das drogarias e de seus produtos que a maioria das mulheres não gosta em função da qualidade.”

Reprodução/Forbes

Produtos da Static Nails (Reprodução/Forbes)

Alexis lançou Static Nails com o dinheiro que economizou como modelo e maquiadora. E conseguiu uma parceria com a grife de cristais Swarovski para criar a primeira unha postiça com objetos 3D, impressões complexas e efeitos especiais.

“O produto que criamos fornece acesso ao luxo e à tendência artística nas unhas sem gastar um monte de tempo nos salões e por um preço mais acessível”, diz Alexis. “A melhor parte é que ele não estraga as unhas naturais. Elas são reutilizáveis e podem ser customizadas sem prejudicar o design original. Leva apenas cinco minutos para aplicar e dura 18 dias ou até seis aplicações.”

VEJA MAIS: Océane, dos lenços removedores de esmaltes, abre loja-conceito em SP

A empresa foi lançada no aniversário de 21 anos de Alexis. Uma semana depois, ela recebeu uma ligação da Kendo, marca de beleza por trás da Ole Henriksen e da Marc Jacobs Beauty.

“James Vincent, um maquiador que acabou se tornando uma celebridade, apresentou nosso produto para vários estilistas. O resultado foi a participação em vários desfiles na semana de moda de Nova York”, disse Alexis. “A Static foi apresentada para as principais revistas. Editores renomados de moda e beleza, da ‘Teen Vogue’ a ‘Cosmopolitan’, usaram o produto nos eventos paralelos. Além disso, recebi ligações de grandes lojistas, mas, infelizmente, tive de recusar, pois sentia que o produto não estava pronto para o varejo uma vez que eu continuava na universidade. Foi um sentimento incrível ver que dois anos de trabalho duro estavam se convertendo em um negócio concreto. Eu tive, então, que investir os recursos reservados para pagar a minha faculdade para erguer a empresa – e correr o risco de não conseguir terminar os estudos caso o negócio não desse certo.”

LEIA TAMBÉM: Conheça a empresa que foi do zero aos US$ 25 milhões em 12 meses

Em seu aniversário de 22 anos, Alexis foi procurada por uma pessoa que seria decisiva para o sucesso da operação. “Era uma das relações públicas da Sephora. Ela me contou o quão obcecada estava pelas unhas e o quanto tinha falado bem do produto para a rede de lojas de cosméticos”, lembra. “Foi o melhor presente de aniversário da minha vida. Começamos a conversar com a Sephora alguns meses depois para que a Static Nails passassem a ser oferecidas nas lojas.”

O histórico de Alexis na indústria da beleza a preparou para se tornar uma empreendedora do ramo. “Eu comecei a trabalhar na indústria da beleza aos 14 anos como modelo”, conta. “Aos 16 eu era a mais jovem maquiadora profissional contratada no país na época. Quando fiz 17, era a gerente de cosmético mais nova na Macy’s Corporation e trabalhava em uma das melhores lojas, a Bloomingdale’s de Santa Mônica.”. Alexis também era privilegiada por ter trabalhado com diversas marcas na L’Oreal, onde aprendeu sobre coordenação de eventos, reuniões com compradores, lançamentos e formulação de produtos.

E MAIS: Vaga para testador de esmalte paga R$ 170 mil por ano

“Trabalhar com marcas estabelecidas e com as pessoas maravilhosas, criativas e motivadas que estão por trás delas, desde os balcões dos produtos de beleza até os escritórios corporativos, me ajudaram a perceber o que as mulheres realmente queriam, o que funcionava e o que não funcionava”, explica.

Agora que terminou a faculdade, Alexis pretende ampliar a Static Nails. “Meu objetivo é que ela seja a marca número um dos consumidores. Então, no próximo ano vamos lançar produtos inovadores, com resultados surpreendentes. Alguns deles foram desenvolvidos por mais de dois anos. Estou muito animada.”

Comentários
Topo