Negócios

4 passos para ajudá-lo quando as despesas ultrapassam a renda

Você perde seu emprego, tem gastos inesperados ou sua vida muda totalmente sem que você perceba. Suas despesas mensais ultrapassam sua renda e o sentimento de medo, desespero e pânico tomam conta de você. Algumas vezes, isso acontece por sua causa, outras, por uma série de circunstâncias que vão além do seu controle.

VEJA MAIS: 7 atitudes simples para cortar despesas

Independentemente dos motivos, certas atitudes precisam ser tomadas conseguir sair de uma situação como essa e se recuperar. Os cartões de crédito, por exemplo, estão entre os principais motivos de descontrole financeiro. Não há nada mais simples do que usar este pequeno pedaço de plástico e adiar o sofrimento do pagamento – e aí que está o problema.

Parece mais fácil tentar manter seu estilo de vida com dívidas do que mudar certos hábitos. A esperança de um novo trabalho chegando, um bônus, uma herança, um bilhete premiado da loteria ou um empréstimo são situações perigosas de se esperar – e de usar como apoio. Antes de perceber, você estará em um ciclo de dívidas.

LEIA TAMBÉM: Conheça a jovem que economizou quase US$ 100.000 por conta própria

Outro problema é a mudança no estilo de vida. Você, provavelmente, utiliza um aumento merecido para comprar coisas mais caras, tirar férias mais extravagantes e fazer gastos considerados “extras” mais frequentemente. Se qualquer mudança impactar sua renda negativamente, você estará mais suscetível a enfrentar dificuldades. A menos que você monitore seus gastos por categoria, é difícil localizar os culpados antes de a sua situação chegar perto de um desastre.

Veja, a seguir, 4 passos para ajudá-lo quando suas despesas ultrapassarem sua receita:

  • 1. Avalie e analise

    Você precisa avaliar a sua situação em vez de contar com a sorte. Reserve um tempo para analisar sua posição financeira, seu patrimônio líquido (ativos menos dívidas) e seu fluxo de dinheiro (a quantia que você fatura versus a quantia que gasta). Anote tudo isso.

  • 2. Organize-se

    Uma vez que você tiver todos estes números claros, separe-os em categorias específicas (quanto você gasta com comida, roupas, aluguel, pagamentos do cartão de crédito, empréstimos, lazer, seguro, produtos de higiene, férias etc.).

  • 3. Faça cortes

    Corte o supérfluo. Se não é algo contratual ou necessário para viver (como comida), elimine-o. Não arrume desculpas. Aluguel, empréstimos, pagamentos de cartão de crédito são todos contratuais – você precisa pagá-los.

    Para muita gente, eliminar gastos opcionais é o suficiente para colocar o orçamento em equilíbrio novamente. Obviamente, existe um grau de sofrimento ao abrir mão das mordomias que você está acostumado. Mas, às vezes, começar de novo é necessário para trazer conscientização e um novo ponto de vista. Uma pesquisa de comportamento financeiro mostrou que estamos mais sintonizados com nossos sentimentos atuais, o que significa que pensar em uma dor do passado parece distante e difícil de localizar. Então, se você está se sentindo mal agora, pode ser difícil se lembrar como é se sentir bem. Mas, assim como os altos e baixos do mercado de ações, a vida segue um caminho não linear, sucessos e fracassos acontecem e expectativas, às vezes, são alcançadas e, às vezes, não.

    Para as pessoas que possuem problemas que não podem ser resolvidos com cortes difíceis, mas viáveis, os passos são um pouco mais desafiadores. Talvez você tenha que fazer mudanças estruturais, como vender a casa e morar em um lugar mais barato e até entrar em contato com seus credores, explicar a situação e pedir que eles trabalhem com você enquanto tenta reparar seu problema atual.

  • 4. Decida-se

    Ações decisivas são necessárias para colocar sua vida financeira em rota de equilíbrio novamente. Sua decisão de viver dentro dos seus limites é algo necessário e importante para enfrentar este período de dificuldades. Isso irá ajudá-lo a ficar mais calmo.

    Qualquer que seja o caso, tenha em mente o resultado que você almeja. Certifique-se de que você arquivou seus impostos, comunicou-se com seus credores e monitore seu progresso. Tome decisões com base em expectativas razoáveis e trabalhe intensamente para seguir adiante aos poucos. Cada pequena atitude pode te levar para a direção certa.

1. Avalie e analise

Você precisa avaliar a sua situação em vez de contar com a sorte. Reserve um tempo para analisar sua posição financeira, seu patrimônio líquido (ativos menos dívidas) e seu fluxo de dinheiro (a quantia que você fatura versus a quantia que gasta). Anote tudo isso.

Comentários
Topo