Negócios

Como três amigos transformaram seu estilo de vida em um produto

Reprodução/Forbes

Surfistas criaram uma toalha de plástico reciclado (Reprodução/Forbes)

Há três anos, três amigos fundaram a Nomadix, empresa baseada em um único produto: uma toalha feita de plástico reciclado. Hoje, eles estão na REI, companhia especializada na venda de produtos para uso em atividades ao ar livre, na Urban Outfitters e em mais de 100 boutiques, lojas de surfe e estúdios de ioga. E o método deles para crescer é, ironicamente, diminuir o ritmo.

VEJA TAMBÉM: Catarinense fatura R$ 3,5 mi com fabricação de pranchas de surfe

Chace Petersen, Zack Helminiak e Hunter Robinson são parceiros de negócios por acaso. Depois de anos acampando, surfando e tendo uma vida ao ar livre juntos, o trio percebeu que a quantidade de resíduos plásticos no oceano e de lixo em seus pontos de surfe preferidos estava aumentando. Eliminar tudo aquilo seria muito difícil, então eles decidiram aperfeiçoar garrafas de água de plástico, lembra Helminiak. “Poluição por plástico é um grande problema para os oceanos e a vida selvagem, que a Nomadix e nossos clientes buscam proteger”, conta.

“Poluição por plástico é um grande problema para os oceanos e a vida selvagem, que a Nomadix e nossos clientes buscam proteger”, diz Zack Helminiak

Mas a empresa nasceu também da demanda por um produto. Os fundadores viajavam regularmente – visitaram mais de três dúzias de países – e perceberam que as toalhas eram muito finas ou de uma qualidade ruim. “Na época e até hoje, na verdade, toalha é algo confeccionado para uma atividade específica”, explica Helminiak, de sua sede em San Clemente, na Califórnia. “Existe um tipo de toalha para ioga, com pontos na parte inferior, que não é prática para nada mais além da modalidade. Tem também aquelas feitas para acampar, mas nada duráveis. A gente vivia comprando toalhas feitas de algodão, para usar na praia, muito volumosas e que ficavam imundas depois de um dia na areia.”

Tanta variedade – e desperdício – não fazia sentido para o trio de esportistas. “Essa especificidade de produtos não se encaixava no nosso estilo de vida e, além disso, comprar tantas toalhas não é algo que faça bem para o meio ambiente ou acessível a todos”, completa. O slogan da empresa, apropriadamente, resume a ideia: “Tenha menos. Faça mais”.

LEIA MAIS: 10 cidades com os empregos mais sustentáveis

Com US$ 100.000 levantados do Kickstarter e do Indiegogo, sites de financiamento coletivo, eles lançaram a Nomadix em 2014. A toalha, que está disponível por US$ 39,95, é antimicróbios, com secagem rápida, durável, resistente à areia e feita inteiramente de plástico reciclado em uma empresa que utiliza energia solar na China. (Eles tentaram fabricá-la nos Estados Unidos, admitem, mas os custos eram altos demais e os deixaria fora do mercado).

Este ano, os empresários expandiram para além do e-commerce, lojas de surfe e boutiques e encontraram espaço nos grandes lojistas. Três anos atrás, quando chegaram às lojas que vendem diversos tipos de produtos para oferecer a toalha, a resposta foi dura. Agora, a dinâmica mudou, afirma Helminiak. As marcas estão procurando produtos ecoconscientes, que apelam para os instáveis hábitos dos consumidores. Atualmente, as toalhas estão disponíveis na Urban Outfitters e na REI.

E MAIS: Empresas apostam no uso de plásticos recicláveis para estradas

Conforme a empresa cresce, indo além de suas origens em uma adormecida cidade do surfe, o trio tem um desafio, uma tática que é menos conhecida no mundo das startups: diminuir o ritmo. “Uma das partes mais difíceis de construir a Nomadix foi nos lembrarmos de desacelerar. Como uma empresa ativa nas mídias sociais e que colabora com outras marcas, nós temos muitas oportunidades vindo em nossa direção e que temos que recusar.’

Os empresários podem arcar com isso, porque a empresa não possui investimentos externos. A Nomadix ainda é controlada apenas por seus três cofundadores. A questão não é sobre conseguir investidores, Helminiak afirma. “O compromisso com um investidor nos traria mais ideias do que dinheiro. Nós fizemos esse negócio crescer com nada além de crowdfunding. Realmente queríamos conseguir tomar as decisões corretas, alinhadas com nossos valores e não apenas com taxas de crescimento ou margens de lucro.”

LEIA TAMBÉM: Surfistas pegam onda em praias de gelo da Escandinávia

Algumas dessas escolhas fogem um pouco do tradicional para uma marca de varejo. A Nomadix acabou de começar, por exemplo, seu próprio podcast, apresentando o fotógrafo e entusiasta de preservações Chris Burkard. Outros convidados estão alinhados, caracterizando o trabalho de pessoas criativas e empreendedoras que estão integradas com indústrias voltadas ao ar livre e preocupadas com o meio ambiente.

Mas, além de um simples podcast, está a mais ambiciosa série de viagem, a “All The Places”. No primeiro episódio, a equipe da Nomadix viaja com seus amigos para a Colômbia, para um passeio de bicicleta em uma das mais majestosas fazendas produtoras de café do país. O primeiro parceiro deles na série é o Rosetta Stone, um software de ensino de idiomas. Helminiak afirma que eles queriam fazer algo que permitisse a conexão com públicos ao redor do país (eles saíram em turnê com o filme) e a construção de uma comunidade – além de apenas vender toalhas.

“Nós estamos tentando construir a empresa com uma abordagem que envolve três pilares – algo bom para nossos futuros funcionários, acionistas e meio ambiente”, conclui Helminiak. “A questão não é o dinheiro. E nós queremos nos divertir ao longo do caminho.”

Comentários
Topo