Negócios

Goldman Sachs tem lucro líquido no 2º tri, mas receita com renda fixa despenca

iStock

A receita do Goldman com operações de renda fixa, moedas e commodities caiu para US$ 1,16 bilhão (iStock)

O Goldman Sachs teve lucro líquido trimestral praticamente estável no segundo trimestre, apesar da queda de 40% nas receitas com transações com bônus, refletindo uma fraqueza mais ampla na atividade comercial que atormentou os grandes bancos dos EUA no último trimestre.

LEIA MAIS: 20 bilionários que devem suas fortunas aos hedge funds

A receita do Goldman com operações de renda fixa, moedas e commodities caiu para US$ 1,16 bilhão no trimestre encerrado em junho, ante US$ 1,93 bilhão um ano antes, quando as negociações saltaram na esteira da votação do Brexit.

O Goldman, quinto maior banco dos EUA por ativos, geralmente é mais dependente da receita de negociação de títulos do que seus pares. Isso ajudou o banco a gerar grandes lucros na crise financeira de 2007-2008, mas as novas regulamentações limitaram esses negócios.

Foi o pior desempenho da divisão desde o quarto trimestre de 2015, deixando o Goldman Sachs aquém de concorrentes como JP Morgan e Citigroup, que registraram quedas de 19% e 6%, respectivamente, nos resultados dos negócios em renda fixa.

A receita total do banco, incluindo a margem líquida financeira, encolheu 0,6% no segundo trimestre, para US$ 7,89 bilhões.

VEJA TAMBÉM: 29 bancos mais importantes do mundo

Apesar disso, o lucro líquido atribuído aos acionistas ficou praticamente estável em US$ 1,63 bilhão no trimestre encerrado em 30 de junho.

Já o lucro por ação subiu para US$ 3,95, conforme o número de papéis em circulação diminuiu quase 6%. A expectativa média de analistas em levantamento da Thomson Reuters I/B/E/S apontava um lucro de US$ 3,39 por ação.

As despesas operacionais do Goldman recuaram cerca de 2%, para US$ 5,38 bilhões.

As ações do Goldman apresentavam um dos piores desempenhos entre os seis maiores bancos dos EUA. Até o fechamento desta segunda-feira (17), acumulavam baixa de 4,3% neste ano, bem abaixo do desempenho geral do setor financeiro do S&P 500, com ganhos acumulados de 6,7% no ano.

O Morgan Stanley, principal rival do Goldman Sachs, divulgará seus resultados trimestrais na quarta-feira (19).

Comentários
Topo