Negócios

Kanye West ameaça sair do Tidal

Getty Images

Correm boatos de que Kanye West quer permitir que seus próximos lançamentos sejam divulgados em outras plataformas de streaming (Getty Images)

O novo álbum de JAY-Z, 4:44, ganhou certificado de platina após quatro dias de seu lançamento exclusivo no Tidal, mas parece que nem tudo está indo bem na plataforma de streaming.

LEIA MAIS: Os 5 rappers mais ricos do mundo em 2017

Durante o fim de semana, começaram a correr boatos de que Kanye West, um dos 16 artistas donos da plataforma, quer romper seu contrato de exclusividade com os assinantes do Tidal e permitir que seus próximos lançamentos sejam divulgados em outras plataformas de streaming.

De acordo com a nota divulgada pelo TMZ, West afirmou que o Tidal deve “mais de US$ 3 milhões” depois que seu disco “The Life of Pablo” supostamente “resultou em 1,5 milhão de novos assinantes para a plataforma, pelo qual ele deveria receber um bônus mas a companhia não pagou”. Segundo o rapper, o Tidal também não pagou os valores por seus vídeos.

O Tidal se posiciona dizendo que West falhou em entregar os vídeos que constavam em contrato. Nenhuma das duas partes entrou com processo ainda, mas advogados de ambos os lados estão comprometidos com a disputa e parece que uma batalha legal é inevitável.

Em janeiro de 2015, JAY-Z ofereceu US$ 56 milhões para a companhia de tecnologia sueca Apiro e o serviço de streaming WiMP. Em março de 2015, ele renomeou a plataforma para Tidal e fez um lançamento com grandes estrelas da música como donas da empresa, como Beyoncé, Kanye West, Daft Punk, J.Cole, Jason Aldean, Coldplay, Usher, DeadMau5, Calvin Harris, Jack White e Nicki Minaj.

VEJA TAMBÉM: 50 celebridades mais bem pagas do mundo em 2017

Desde então, a companhia tem enfrentado problemas para atrair e conquistar assinantes em um período em que o streaming vale por mais da metade do lucro da indústria musical. Na última contagem não oficial, o serviço contava com um número estimado de um milhão de assinantes, contra os líderes do mercado Spotify e Apple Music (50 milhões e 20 milhões, respectivamente).

No último mês de maio, o Tidal perdeu seu terceiro executivo-chefe em dois anos com a saída de Jeff Toid, que se tornou CEO em janeiro de 2016 quando substituiu o CEO interino Peter Tonstad, que já havia ocupado o espaço deixado pelo CEO original, Andy Chen.

Em janeiro, o Tidal vendeu 33% das ações para a Sprint por US$ 200 milhões, dando acesso para os 45 milhões de clientes da empresa de comunicação. O acordo permitiu que o novo disco de JAY-Z, 4:44, conseguisse o certificado de platina em tão pouco tempo, graças a uma promoção da Sprint, permitindo que os clientes baixassem o disco de graça.

Leia mais em www.billboard.com.br

Comentários
Topo