Negócios

SP é eleita um dos locais do programa de aceleração de startups da Oracle

iStock

Iniciativa contempla oito cidades do mundo, e o potencial do mercado brasileiro foi um dos critérios para a escolha da capital paulista (iStock)

A Oracle escolheu oito cidades no mundo para instalar o seu programa de aceleração de startups, batizada de OSCA (sigla em inglês para Oracle Startup Cloud Program). No Brasil, a cidade escolhida foi São Paulo, e a instalação foi feita no CO.W Coworking Space.

LEIA MAIS: 25 startups de agrotecnologia mais inovadoras

“O programa é destinado a todos os tipos de startups”, afirma Rodrigo Galvão, novo presidente da Oracle do Brasil, explicando que o OSCA pode receber propostas com modelos de negócios voltados ao consumidor (B2C) ou a outras empresas (B2B), e que não necessariamente precisa estar inserida no core business da companhia.

O papel da Oracle no processo de aceleração é prover tecnologia e fazer a mentoria para estas pequenas empresas de inovação

O papel da Oracle no processo de aceleração é prover tecnologia e fazer a mentoria para estas pequenas empresas de inovação. A orientação é tanto interna – disponibilizando a infraestrutura de cloud e a expertise em negócios da Oracle – como externa, apresentando as startups aos clientes da companhia norte-americana e também a potenciais investidores. “Desta forma, entramos no ecossistema de startup, sem o objetivo de adquiri-la”, afirma Galvão. “Não é a nossa intenção pegar equity das startups”, diz ele, explicando que a Oracle não pretende deter uma participação na startup para poder abrigá-la no programa de aceleração. “Caso ela desenvolva um modelo de negócio que possa entrar em nosso portfólio, podemos avaliar”, argumenta. Na primeira rodada de aceleração, 500 startups se inscreveram e, neste momento, estão sendo avaliadas para que cinco delas sejam escolhidas.

Galvão assumiu a Oracle do Brasil recentemente. Seu objetivo é continuar com a estratégia de expandir os serviços de cloud – tecnologia que disponiliza o uso de softwares e infraestrutura sem a necessidade de armazená-los dentro da empresa – da companhia no mercado brasileiro, auxiliando as empresas locais a aumentarem a produtividade e eficiência. Também faz parte dos planos aumentar a oferta de serviços na nuvem com o segundo data center no país e intensificar as vendas do ERP Cloud (sistema de gestão empresarial integrada na nuvem) para modernização das empresas.

Comentários
Topo