Negócios

Apple anuncia iPhone mais caro da história

Uma década após o presidente-executivo Steve Jobs ter revelado o primeiro iPhone, a Apple anunciou nesta terça-feira (12), em Cupertino, na Califórnia, um iPhone de última geração completamente redesenhado, o mais caro da história, com dois outros novos aparelhos, assim como uma grande atualização do Apple Watch e uma Apple TV com melhor definição.

VEJA MAIS: O dia em que Bill Gates salvou a Apple

O evento de lançamento foi no Steve Jobs Theater, no novo campus “nave espacial” da empresa, o Apple Park – considerado o último produto projetado por Jobs, que morreu em 2011.

Os novos produtos e a temporada de compras que os seguem são os mais importantes para a companhia em anos. A Apple vendeu mais de 1,2 bilhão de iPhones na última década e inaugurou a era da computação móvel, mas no ano passado sofreu uma perda significativa de receita, com muitos consumidores considerando o modelo 7 muito similar ao 6 e o rejeitando.

As ações da empresa, no entanto, fecharam em queda de 0,4 por cento, depois de terem sido negociadas em alta de até 1 por cento mais cedo, durante o evento de lançamento dos produtos.

LEIA TAMBÉM: Como o iPhone mudou a Apple em uma década

A Apple espera que o novo celular de alta tecnologia silencie os críticos que dizem que a empresa perdeu sua capacidade inovadora. Ele inclui uma tela infinita com cores mais ricas e reconhecimento facial para desbloquear o telefone, sem a necessidade de um leitor de digitais ou um botão físico.

A gigante da tecnologia aproveitou a oportunidade para anunciar a inauguração da próxima superloja da marca, em Michigan, nos Estados Unidos, em outubro.

Veja, a seguir, o pacote de novidades anunciadas hoje pela gigante da tecnologia:

  • Apple Watch

    A primeira novidade a ser anunciada foi a atualização para o Apple Watch, que, segundo a empresa, tornou-se o relógio mais vendido do mundo, com crescimento de 50% no último trimestre em relação ao mesmo período do ano passado. Além disso, de acordo com Tim Cook, o dispositivo tem satisfação de cliente recorde: 70%.

    Entre as novidades da atualização estão mais funções para nadadores, facilidade maior no uso do monitor cardíaco, acelerômetro – que mede o quão rápido as batidas do coração desaceleram após uma atividade física – e novas funções na experiência com música. As novas ferramentas refletem o investimento da Apple no maior mercado desse aparelho, o setor fitness. A atualização estará disponível no dia 19 de setembro.

  • Apple Watch

    No entanto, ainda mais aclamado foi o anúncio do novo hardware, o Apple Watch Series 3, cuja maior inovação será a tecnologia de rede de dados própria, o que elimina a dependência do celular. Além disso, será possível acessar o Apple Music e, consequentemente, todo o catálogo de músicas da empresa sem ter de utilizar o celular. O novo processador dual core garante 70% de melhoria de performance.

    O novo modelo virá em duas versões: uma com rede de dados, com preço inicial de US$ 399 nos EUA, e outra que funciona somente via wifi e bluetooth, a US$ 329. Os pedidos poderão ser feitos a partir de 15 de setembro, e os modelos estarão disponíveis a partir do dia 22 do mesmo mês.

  • Apple TV 4K

    A Apple anunciou, ainda, a nova Apple TV 4K, que, no Brasil, ainda não é um produto muito popular graças à falta de um amplo cardápio de conteúdo. A nova versão traz dois grandes avanços em imagem, as tecnologias 4K e HDR. O preço de partida será de US$ 199 nos Estados Unidos, enquanto a versão anterior será reduzida para US$ 179. As vendas serão abertas daqui a três dias (15), mas o produto só estará disponível no dia 22.

  • iPhones

    Os lançamentos de maior destaque, como de costume, foram os novos iPhone: 8, 8 Plus e o inovador X. Os “8” vêm com o que promete ser o vidro mais durável já colocado em um iPhone na frente e na parte de trás, e o acabamento das bordas, feitas de um tipo de liga de alumínio utilizado em aeronaves, pode ser nas cores prata, cinza espacial e o novo dourado.

    Esses modelos, no entanto, não trazem grandes novidades. As telas continuam com os mesmos tamanhos – 4.7 polegadas para o 8 e 5.5 para o 8 Plus -, o botão home segue sendo físico, e as bordas permanecem. Em resumo, a aparência é praticamente a mesma. As novidades discretas estão no interior do aparelho: o volume dos alto-falantes é 25% mais maior; o processador é 25% mais rápido; a função de multitarefas é 70% mais rápida, a câmera é de 12 megapixels; o carregamento é sem fio (por indução); e o aparelho começa a ter recursos de realidade aumentada.

  • iPhones

    Outra surpresa foi o fim dos aparelhos de 32 GB. A versão com menor capacidade de armazenamento, de 64 GB, custa US$ 699 no caso do iPhone 8 e US$ 800 no 8 Plus (preços nos Estados Unidos). As vendas terão início em 15 de setembro, e os dispositivos estarão disponíveis a partir do dia 22. A última atualização de software, o iOS 11, será disponibilizado em 19 de setembro.

  • iPhones

    A novidade mais esperada, no entanto, foi o iPhone X, que, segundo a Apple, é o maior salto em termos de inovação desde o lançamento do primeiro smartphone da empresa. Câmera vertical, telas quase sem bordas e maiores (5.8 polegadas), a retirada do botão home físico e acabamento que mescla vidro e aço são os diferenciais de design.

    As inovações, no entanto, vão muito além disso. A tela, pela primeira vez no iPhone com tecnologia OLED, oferece a maior intensidade de pixels já colocada em um smartphone da marca. A precisão, a maior variedade de cores e o brilho dão ainda mais suporte ao HDR.

    Sem o botão home, a tela é acesa quando o aparelho é levantado ou depois de um toque na tela. Quando o usuário desejar ir para a tela inicial, basta que a deslize para cima. Se, ao realizar o movimento, o usuário não soltar o dedo, as janelas de apps frequentes aparecem.

  • iPhones

    Segundo a empresa, a maior inovação em termos de tecnologia é o FaceID, reconhecimento facial utilizado, entre outras coisas, para desbloquear o celular. O sistema funciona a partir do sistema de câmeras TrueDepht, que, com sensor infravermelho, projetor, sensor de luz ambiente e de profundidade é capaz de criar uma imagem 3D modelada do rosto e compará-la à imagem previamente armazenada. Tudo isso acontece em tempo real, quando o dispositivo reconhece que o usuário está olhando para a tela.

    Com isso, a empresa conseguiu criar os “animojis” – emojis animados controlados por meio de movimentos faciais.

    No entanto, em um momento constrangedor para o vice-presidente sênior da Apple, Craig Federighi, o sistema de desbloqueio por reconhecimento facial não funcionou na primeira tentativa durante a apresentação ao público.

    Outra novidade são duas horas adicionais de duração da bateria em comparação ao iPhone 7.

    O aparelho resistente à água, que custará US$ 999 na versão de 64 GB, é o mais caro da história, terá suas vendas iniciadas em 27 de outubro e estará disponível em 3 de novembro.

Apple Watch

A primeira novidade a ser anunciada foi a atualização para o Apple Watch, que, segundo a empresa, tornou-se o relógio mais vendido do mundo, com crescimento de 50% no último trimestre em relação ao mesmo período do ano passado. Além disso, de acordo com Tim Cook, o dispositivo tem satisfação de cliente recorde: 70%.

Entre as novidades da atualização estão mais funções para nadadores, facilidade maior no uso do monitor cardíaco, acelerômetro – que mede o quão rápido as batidas do coração desaceleram após uma atividade física – e novas funções na experiência com música. As novas ferramentas refletem o investimento da Apple no maior mercado desse aparelho, o setor fitness. A atualização estará disponível no dia 19 de setembro.

Comentários
Topo