Negócios

Como ganhar mais de US$ 100 mil por ano com a criação de cursos online

iStock

Graças ao rápido sucesso como como @ScrivenerCoach, Joseph Michael entrou no mundo da criação de cursos online com intensidade – oferecendo aulas para ajudar aspirantes a escritores e empreendedores a descobrir como começar o negócio dos seus sonhos. (iStock)

Você já parou para pensar como pessoas normais têm iniciativa e coragem para seguir seus sonhos? Joseph Michael, um pai de família comum do estado norte-americano de Missouri, tem uma história com a qual quase todo mundo pode se identificar.

VEJA TAMBÉM: 5 dicas para superar os maiores desafios de negócios do futuro

Antes de se tornar um empreendedor, Michael vivia de salário em salário. Certa vez, aprendeu a usar o popular software de escrita Scrivener e resolveu criar um curso para ajudar outras pessoas a utilizar o complicado programa.

“Eu arrisquei no empreendedorismo e falhei dezenas de vezes, mas algo dentro de mim me manteve tentando de novo”

Graças ao rápido sucesso como como @ScrivenerCoach, Joseph Michael entrou no mundo da criação de cursos online com intensidade – oferecendo aulas para ajudar aspirantes a escritores e empreendedores a descobrir como começar o negócio dos seus sonhos. Agora, ele está vivendo o tipo de vida que sempre quis.

Pode parecer louco, mas Michael acha que todo mundo pode fazer o mesmo. Tudo o que é preciso para começar, diz ele, são atitude e as ferramentas certas.

Para descobrir mais sobre sua história, FORBES encontrou Michael para uma entrevista sobre empreendedorismo, dificuldades e a liberdade que o sucesso pode comprar. Leia, na íntegra, o que ele tem a dizer.

FORBES: Como começou sua jornada no empreendedorismo?

Joseph Michael: Ao longo dos anos, eu vivi muitas aventuras nos negócios – eu consegui minha licença de corretor, tentei diferentes posicionamentos de marketing e até abri um negócio de sorvetes com a minha esposa. Eu arrisquei no empreendedorismo e falhei dezenas de vezes, mas algo dentro de mim me manteve tentando de novo.

Ainda assim, nem sempre foi fácil. Muito antes de me tornar um empreendedor online, eu tinha um trabalho corporativo que pagava as contas, era estável e previsível o suficiente para que eu pudesse deixar meus sonhos de lado por um tempo.

Felizmente, o mosquito do empreendedorismo nunca foi embora e eu também tinha outro problema: nós precisávamos de dinheiro. Eu era casado e estávamos começando uma família. Ganhávamos o suficiente para pagar as contas, mas precisávamos de uma casa maior e estávamos cansados de viver de salário em salário.

No desespero, eu comecei a procurar bicos e trabalhos de meio período. Eu queria manter meu trabalho regular, claro, mas nós estávamos em um ponto em que realmente precisávamos de mais US$ 400 ou US$ 500 por mês.

O engraçado é que eu me candidatei para muitos empregos como entregador de pizza – e nunca fui chamado. Eu era um gerente com muita experiência no meu emprego, mas não tinha vivência suficiente para entregar pizzas! Esse foi um grande momento para mim. Ser rejeitado pelas pizzarias fez com que eu me sentisse um perdedor – como se todos os meus sonhos estivesse arruinados.

Mas eu não desisti da ideia da renda extra. Com o fracasso das tentativas de entregar pizza, eu comecei a pensar em outras maneiras de ganhar um pouco de dinheiro. Eu não queria ser garçom ou vendedor de loja, então eu tinha de pensar em algo.

Eu comecei, então, a pesquisar sobre renda extra na internet e encontrei um mundo disponível de educação online. Eu descobri que as pessoas realmente ganhavam dinheiro – dinheiro real – como blogueiras e criadoras de produtos digitais que ensinavam o que elas sabiam. E essas pessoas não estavam apenas ganhando uma renda extra, elas estavam se tornando ricas e vivendo um sonho!

LEIA: Profetas do capitalismo: as ideias, erros e inspirações de 20 mentes empreendedoras

Ainda que eu tivesse muitas dúvidas, eu me obriguei a colocá-las de lado. Se essas pessoas podiam fazer isso, eu pensei, por que eu também não podia? Por que eu não podia encontrar um caminho parecido para o sucesso?

Uma vez que eu decidi ir em busca disso, eu comecei um blog chamado “Efficient Life Skills” que tinha como objetivo ajudar as pessoas a aprender as coisas mais rapidamente. Eu mal sabia o que estava fazendo, mas sabia que precisava entrar no jogo de algum jeito. Eu descobri que a melhor maneira de começar era mergulhar e aprender na prática.

Meu blog não era muito bem-sucedido, mas eu aprendi muito sobre WordPress e outras ferramentas online. Eu não estava ganhando dinheiro, obviamente, mas estava aumentando meu arsenal de habilidades.

Então, um dia, eu tive um momento de inspiração depois de ensinar minha filha (que tinha 5 ou 6 anos na época) a amarrar os cadarços. Era difícil ensiná-la, então eu comecei a pesquisar por métodos diferentes de fazer aquilo até que eu encontrei um que parecia fácil. Com esse método, minha filha aprendeu a amarrar o cadarço em cerca de cinco minutos.

Então, nós criamos um vídeo sobre isso com uma série de instruções, passo a passo, que as pessoas poderiam usar para ensinar seus próprios filhos a amarrar o cadarço. Ainda que eu não tivesse muitas expectativas para o vídeo, pensei que, pelo menos, os avós da minha filha iriam gostar. Mais tarde, quando fui checar o vídeo, descobri que tinha se tornado um viral. Até agora, o post tem cerca de 800 mil compartilhamentos. Melhor ainda: os comentários que ele recebeu eram incríveis. As pessoas de todo o mundo usaram o tutorial para ajudar suas próprias crianças, e isso foi muito gratificante.

Naquele momento, eu soube que o que eu queria mesmo era ensinar e ajudar as pessoas a ganharem a vida. Mas como? Eu levei mais alguns meses para descobrir.

FORBES: O que o motivou a criar o seu primeiro curso, o LearnScrivenerFast.com?

Michael: Eu vivia lendo posts em blogs sobre o Scrivener – um programa de processamento de palavras que eu comparo ao Word com esteroides. Eu usava essa ferramenta para coletar pesquisas e conteúdos escritos para o meu blog, e queria aprender jeitos melhores de otimizar meu tempo com ele.

Um artigo específico que chamou a minha atenção era do empreendedor online Michael Hyatt. O post era ótimo e me ensinou a ver o Scrivener de uma maneira diferente, mas o que realmente me impressionou foram os comentários.

Embora as pessoas realmente se mostrassem apaixonadas pelo programa, muitos comentários dividiam preocupações. As pessoas mencionavam dificuldades para aprender e utilizar o programa e não tinham tempo para descobrir sozinhas.

Depois de ler aquelas avaliações, eu tive outro momento de inspiração: criar um curso sobre como utilizar o Scrivener. Isso me levou de volta ao post que eu criei sobre amarrar cadarços. Se eu conseguisse criar tutoriais em vídeo para cada aspecto do programa, eu poderia ensinar as pessoas a utilizá-lo melhor em muito menos tempo.

iStock

“Ainda que eu tivesse muitas dúvidas, eu me obriguei a colocá-las de lado. Se essas pessoas podiam fazer isso, eu pensei, por que não eu também não podia? Por que eu não podia encontrar um caminho parecido para o sucesso?” (iStock)

Porém, eu também tinha algumas dúvidas – pelo menos no início. Esse foi outro momento em que eu percebi que eu não tinha ideia do que estava fazendo. Eu não havia escrito um livro ou criado um curso, afinal.

Mas eu voltei à mesma pergunta de antes, quando comecei o blog: “Por que não eu? Por que eu não posso criar esse curso?”. Mesmo que não desse certo, eu poderia aprender mais sobre o Scrivener no processo. Além disso, poderia ganhar um pouco de prática em criar cursos.

Eu passei os próximos seis meses aprendendo a criar um curso online com um orçamento restrito. Lembre-se de que eu ainda não tinha ganho nenhum dinheiro extra. Sem os recursos que eu precisava para comprar o acesso às ferramentas e plataformas certas, eu criei meu curso em um site simples de WordPress.

Para me inspirar a fazer os módulos, eu entrava no Twitter sempre que via uma conversa sobre o Scrivener. Por meio dele, eu me conectei com pessoas que utilizavam o programa e poderiam me dar insights valiosos. Eu até encontrei pessoas dispostas a testar a versão beta do meu curso por meio do microblog – e essa também foi uma excelente maneira de descobrir quanto as pessoas pagariam pelo meu curso. Foi assim que nasceu o LearnScrivenerFast.com.

Lembre-se de que eu fiz tudo isso durante meu horário de almoço, enquanto eu ainda trabalhava em meu emprego corporativo. Eu não era uma pessoa matutina, e as noites eram para a minha esposa e filhos, mas meu horário de almoço oferecia 60 minutos de tempo livre do qual eu aprendi a tirar vantagem.

Eu levava um sanduíche, dirigia até uma vaga isolada no estacionamento e gravava durante meu horário de almoço. Às vezes, eu ia até a Starbucks mais perto para usar o Wi-Fi. Eu fazia o que fosse preciso para trabalhar o máximo possível naquela uma hora.

Ainda que não seja muito tempo, é incrível o que você consegue alcançar quando faz a mesma coisas muitas vezes consistentemente. E eu fazia isso todos os dias da semana, sem exceção, independentemente do que acontecesse.

Soa como loucura – e realmente era. Mas, às vezes, você só precisa encontrar tempo para seguir seus sonhos, mesmo que esse tempo seja a sua única hora livre do dia. Eu me lembro de perguntar à minha esposa se ela podia me dar cinco anos para conseguir alguma renda extra. Era tudo o que eu queria. “Se eu não chegar a lugar nenhum, vou desistir”, eu disse. “Apenas me dê esse tempo.”

Ao mesmo tempo em que isso acontecia, eu me relacionava com influenciadores, comentava em blogs e fazia as redes sociais como eu podia – qualquer coisa que pudesse divulgar meu curso. Um dia, algo finalmente aconteceu. [O autor] Michael Hyatt me marcou no Twitter com uma pergunta sobre o Scrivener e eu parei tudo o que estava fazendo para ajudar. Eu criei o melhor tutorial em vídeo que eu podia naquele momento e mandei imediatamente. É claro que eu não podia desperdiçar aquela oportunidade! Então, eu também mandei a Hyatt um link para o meu curso para que ele pudesse checar quando quisesse.

Felizmente, ele respondeu com muitos comentários positivos sobre a qualidade do curso. Em resumo: me deu um voto de confiança. Além disso, tuitou sobre o conteúdo que eu tinha elaborado, disse que era bem feito e que valia o investimento. Fiz entre 15 e 20 vendas com aquele tuíte.

E MAIS: Descubra o truque de produtividade de Sheryl Sandberg, Bill Gates e Richard Branson

Naquele momento, eu realmente comecei a entender o propósito de trabalhar com influencers. Então, perguntei a Michael Hyatt se eu podia usar aquela recomendação em minha página de vendas e ele autorizou. Eu usei aquilo como um selo de aprovação para alcançar outros influenciadores e escritores que colocassem o meu nome na rede.

Minhas novas conexões me levaram a fazer webinars. Nessas conferências digitais online, eu aparecia e ensinava a utilizar o Scrivener por uma hora. No final, eu apresentava o meu curso. Mas confesso que, a cada novo evento, eu ficava ansioso. E se ninguém aparecesse? E se ninguém comprasse? E se tudo aquilo não servisse para nada?

Mas eu descobri rapidamente que aqueles medos eram completamente infundados. Na verdade, meu primeiro webinar rendeu US$ 25 mil em vendas. Eu comecei, então, a focar em webinars e a aperfeiçoar o curso. Neste período, meus rendimentos aumentaram para cerca de US$ 40 mil por mês só com os webinars.

As coisas começaram a acontecer: eu comecei a receber resultados de buscas no Google, ser mencionado na mídia e ter influenciadores ligados ao meu produto, entre outros resultados.

Naquela altura, eu já tinha saído do meu emprego e, pela primeira vez na vida, tinha tempo. Eu finalmente podia fazer o trabalho do qual eu gostava de onde eu quisesse, quando eu quisesse. Eu tinha opções.

FORBES: O que fez você decidir criar o EasyCourseCreation.com?

Michael: Depois de ajudar milhares de escritores a usar o Scrivener, eu comecei a receber centenas de emails com perguntas sobre como construir um curso. Enquanto eu preparava o coaching para ajudar as pessoas ao longo do processo, eu comecei a querer otimizar o ensino em um novo curso.

Então eu resolvi fazer um processo de engenharia reversa e criar o EasyCourseCreation.com. O novo curso não tinha nada a ver com o Scrivener – foi criado para ajudar as pessoas a reunirem suas habilidades e conteúdo em um produto que elas podiam vender.

Eu tenho convicção de que qualquer um pode copiar o que eu estava fazendo se aprender a criar um curso que resolva problemas. Nós já tivemos dois lançamentos de seis dígitos para cursos, e hoje eu passo a maior parte do meu tempo definindo conceitos e vendendo outros cursos. Eu amo pegar ideias e tarefas complexas e quebrá-las em processos visuais que todos podem aprender.

Sempre que alguém me pergunta por que eu criei esse curso, eu compartilho uma história sobre Frank Abagnale, o homem retratado no filme “Prenda-me se for Capaz”. Abagnale foi um impostor famoso que assumiu não menos do que oito identidades para se esconder do FBI e da polícia. Não apenas ele fingiu carreiras como físico e advogado, mas simulou também ser um piloto de avião e um professor.

Depois que ele foi preso, o FBI lhe perguntou como ele criou tudo aquilo. Como ele encarnou um professor universitário, por exemplo, e realmente fez um bom trabalho? Abagnale disse que ele simplesmente “leu um capítulo à frente” para que ele pudesse ensinar a aula, o que é incrível.

iStock

Meu primeiro webinar rendeu US$ 25 mil em vendas. Eu comecei, então, a focar em webinars e a aperfeiçoar o curso. Neste período, meus rendimentos aumentaram para cerca de US$ 40 mil por mês só com os webinars. (iStock)

A mesma ideia se aplica à criação de cursos. Você não precisa saber tudo e sequer ser um grande especialista. Você só precisa saber mais do que a maioria das pessoas e ser capaz de retratar suas aulas de uma maneira educativa e informativa.

Muitas pessoas não vão adiante porque têm muitas crenças limitadoras. Elas passam tanto tempo pensando que falhariam que nunca criam a coragem de seguir seus sonhos.

A chave para o sucesso é começar a agir onde você está e com o que você tem. Você não precisa de nada sofisticado. Eu lembro aos meus alunos que eu ganhei meus primeiro rendimento de seis dígitos com nada além de um laptop e um microfone via USB barato.

Muito raramente as grandes ideias chegam a nós como grandes revelações – em vez disso, elas vêm escondidas atrás de outras ideias. Eu sempre digo que a ação é o solo fértil onde ideias brilhantes crescem. Aja antes (mesmo que de maneira imperfeita) e as ideias surgirão em seguida.

Eu criei o meu curso porque queria ajudar aquelas pessoas a sair de suas conchas e aproveitar seu conhecimento em seu próprio benefício. Eu queria fazer parecer mais fácil e menos assustador – porque não é o monstro que parece.

FORBES: Como a sua vida mudou?

Michael: A minha vida mudou drasticamente desde que eu me tornei um empreendedor online. Eu tinha um emprego sem flexibilidade. Para ter uma semana de férias eu precisava solicitar com muita antecedência. Eu fui do extremo de não ter praticamente nenhuma liberdade para ter toda a liberdade do mundo.

Há benefícios financeiros no empreendedorismo, mas ainda mais valiosa é a liberdade de viver a vida que eu quero. Eu posso tirar uma semana de férias para uma viagem com as crianças – e faço isso frequentemente. Eu amo poder acordar e tomar café da manhã com a minha família em vez de ter de correr para fora de casa. Ser capaz de tirar um dia de folga para ir o zoológico tem sido incrível. Nossos filhos só são crianças uma vez. Eu gosto muito do fato de poder, finalmente, aproveitar a infância deles.

Há alguns dias, eu levei meu filho à pré-escola, para o seu primeiro dia de aula. Eu caminhei por lá, vi a classe e, então, desejei boa sorte. Se fosse no meu trabalho anterior, eu teria de pedir um dia de folga não remunerado ou pedir autorização ao meu chefe para chegar mais tarde. Hoje eu não preciso falar com ninguém.

O empreendedorismo me deu a liberdade de desenhar a minha vida como eu queria. Isso significa não pedir permissão ou deixar os outros ditarem a maneira como eu gasto o meu tempo.

O dinheiro que eu ganhei também mudou a minha vida. Ao mesmo tempo em que eu gosto de comprar coisas e nunca me preocupar com dinheiro, é a liberdade que o dinheiro compra que realmente importa. Eu me lembro como, antes de me tornar empreendedor, pequenas emergências eram sempre um grande problema. Se a sua máquina de lavar roupas quebrar, por exemplo, é um grande problema financeiro e pode ser difícil descobrir como consertar.

VEJA MAIS: Conheça a rotina diária de Bill Gates

Agora que estamos financeiramente livres, as pequenas coisas da vida não me preocupam mais como antes, já que eu consigo economizar mais e ter muito mais paz. Como não sou assalariado, eu passo menos tempo me preocupando com dinheiro e mais tempo sonhando com o futuro.

FORBES: Que lições você aprendeu na sua jornada?

Michael: Uma lição que eu aprendi sobre as pessoas no geral é que nós somos todos muito similares no que diz respeito às batalhas mentais que travamos. Todos os medos que eu tinha sobre criar um curso são os mesmos que meus alunos têm quando começam. Eu os desafio a fazer a mesma pergunta que eu fiz: “Por que não eu?”.

Ao mesmo tempo, eu aprendi a não ter medo de estragar tudo. Como eu já disse, eu tinha tanto medo de fazer webinars que eu quase não tive coragem de fazer o primeiro. Depois, descobri que as pessoas não se importam muito quando a gente estraga alguma coisa. Eu coloquei toda aquela pressão em mim por nada.

Erros nos humanizam. Todos nós cometemos erros, e nós gostamos de pessoas que são como nós. Não é sobre ser perfeito ou nunca errar – é sobre aparecer e ser vulnerável, honesto, acessível e real.

O sucesso me deu confiança para continuar a seguir meus sonhos, mas eu sempre me pergunto o que poderia acontecer se eu nunca tivesse tido a coragem de tentar. Eu teria perdido tanta coisa… E por quê? Por que eu tinha medo?

Agora que eu sei mais, nunca vou deixar o medo me parar. Em vez disso, eu vou me lembrar que cada experiência é uma oportunidade de aprendizado que eu vou ganhar de qualquer jeito.

Outra grande lição que eu aprendi é ir fundo quando você estiver tentando alcançar uma audiência ou desenvolver uma plataforma. Uma maneira de construir um curso muito lucrativo é uma estratégia que eu desenvolvi chamada de “a técnica das quatro profundidades”. Essa técnica pede para que você desça pelo menos quatro níveis até que você esteja realmente na fonte do problema de alguém. Comece com a dor e então crie uma solução. Se você quiser criar um produto bem-sucedido, ele precisa ser algo que alivie a dor ou que resolva o problema de alguém de uma maneira que nada mais é capaz.

Ao mesmo tempo que os cursos amplos e gerais funcionam, escolher um nicho pode ajudar a criar um curso que ofereça valor real. Quando você vai mais profundamente, as pessoas acham que você está falando diretamente com elas. E você está.

FORBES: Quais são os seus objetivos para 2018? E depois?

Michael: O meu objetivo para o futuro é o mesmo de sempre – ajudar as pessoas comuns a alcançarem os seus objetivos. Se um fulano comum (eu) pode fazer isso, você também pode.

Eu nunca vou esquecer de quando juntei US$ 400 para comprar um ingresso para uma conferência chamada FinCon, que passou por St. Louis quando eu estava começando a entrar no mundo dos negócios online. Minha maior inspiração daquele evento foi quando eu olhei para os palestrantes no palco e percebi que eles eram apenas pessoas comuns que tomaram atitudes.

Eu sabia, desde então, que podia ser aquela pessoa. A parte louca é que, no ano seguinte, eu era a pessoa falando no palco e contando a minha história na esperança de inspirar alguém que pudesse estar se perguntando se tinha o que era necessário.

Eu também quero continuar trazendo mais gente para o outro lado do trabalho – um lado em que se tem mais opções na vida. Muitas pessoas têm potencial e talento, mas também têm muito medo de tentar algo novo. Eu quero dar a elas esperança e as ferramentas para começar. Eu quero que elas façam os meus cursos e entendam como elas têm poder de mudar suas vidas se tiveram coragem de dar um grande passo.

Muitas vezes, as pessoas têm a inteligência e o conhecimento de que precisam para criar um negócio incrível. Meu objetivo sempre foi mostrar a elas os passos para chegar lá.

Comentários
Topo