Negócios

Empresário brasileiro propõe iniciativa tecnológica para o livre comércio

Reprodução/ICC Brasil

Feffer disse que a iniciativa pretende ajudar a criar aplicações que abram o comércio para empresas menores (Reprodução/ICC Brasil)

Um líder empresarial brasileiro pediu na quarta-feira (27) que um fórum da Organização Mundial do Comércio (OMC) use uma iniciativa tecnológica para ajudar empresas menores a obter um melhor acesso ao comércio internacional.
LEIA MAIS: Lemann e Buffett defendem o livre-comércio em Harvard

A Iniciativa de Tecnologia Inteligente e Comércio (ITTI, na sigla em inglês), apresentada nesta quarta-feira pelo presidente da Câmara do Comércio Internacional-Brasil, Daniel Feffer, e pelo professor Marcos Troyjo, da Universidade de Columbia, examina como as tecnologias de ponta, incluindo blockchain e computação cognitiva, podem ajudar nos negócios.

Em entrevista à Reuters, Feffer disse que a iniciativa pretende ajudar diplomatas, líderes empresariais, empresas de tecnologia e especialistas a usar tecnologias para ajudar a criar aplicações que abram o comércio para empresas menores, por exemplo. “A realidade aumentada, blockchain, tudo isso, se integrados da melhor forma depois de um amplo debate, deve impulsionar o crescimento do comércio e se tornará uma ferramenta inclusiva para pequenas e médias empresas que lutam contra o protecionismo ou simplesmente com a falta de acesso ao comércio global”, disse Feffer de Genebra, onde ocorre o fórum da OMC.

A iniciativa acontece quando o aumento do populismo em grandes e pequenas economias ameaça diminuir o apoio ao livre comércio. A OMC é o principal espaço para a resolução de disputas comerciais e para estimular o livre comércio entre países.

A ITTI faz parte de um amplo projeto que reúne diferentes governos, instituições multilaterais e empresas que tentam fazer uso de plataformas de tecnologia cognitiva para melhorar o padrão de vida e estimular o empreendedorismo.

Feffer é membro da família que controla a Suzano Papel & Celulose SA, segunda maior fabricante de celulose do Brasil.

Comentários
Topo