Negócios

Patrimônio de Liliane Bettencourt aumenta US$ 1 bilhão dois dias depois da sua morte

GettyImages

Herdeira da gigante dos cosméticos L’Oréal, morreu na última quarta-feira (20), aos 94 anos. (GettyImages)

Liliane Bettencourt, herdeira da gigante dos cosméticos L’Oréal, morreu na última quarta-feira (20), aos 94 anos. As notícias de sua morte foram divulgadas no dia seguinte. Na sexta-feira (22), as ações da empresa cresceram 2,5%, aumentando o valor de seu patrimônio em quase US$ 1 bilhão.

VEJA TAMBÉM: Liliane Bettencourt, herdeira da L’Oréal, morre aos 94 anos

Em uma declaração ao jornal “The Guardian”, a filha de Liliane, Françoise Bettencourt Meyers, disse que ela “partiu em paz”, apesar de a causa da morte não ter sido divulgada. No momento de sua morte, ela era a mulher mais rica do mundo, com um patrimônio estimado por FORBES de US$ 44,7 bilhões.

Os ganhos nas ações na sexta-feira, que acrescentaram US$ 963 milhões ao valor do patrimônio de Liliane, parecem ter sido estimulados pela especulação em relação ao futuro da L’Oréal. Alguns analistas sugeriram que a Nestlé, que já detém 23% das ações da empresa, poderia aumentar sua participação, embora exista uma cláusula que impede essa operação antes que a morte de Liliane complete seis meses.

Os investidores têm sido otimistas em relação à L’Oréal há algum tempo. O preço das ações da empresa cresceu 88% nos últimos cinco anos e bateu uma alta recorde no último mês de junho. Antes de sua morte, Liliane e seus herdeiros detinham 33% do negócio.

A L’Oréal foi fundada em 1907 pelo pai de Liliane, Eugene Schueller. Ela era sua única herdeira. O negócio cresceu muito durante a sua vida, e agora gera receita anual de, aproximadamente, US$ 28,5 bilhões. O portfólio de marcas de cosméticos e beleza da L‘Oréal inclui Lancôme, Ralph Lauren, Giorgio Armani, Maybelline, Redken e Essie.

LEIA: 20 mulheres mais ricas do mundo em 2017

Famosa por ser tímida em relação à publicidade, Liliane virou o centro das atenções nos últimos anos em função de uma série de batalhas legais. Em 2011, um tribunal decidiu que seu estado mental debilitado, causado por demência, tornava-a incapaz de cuidar de seus próprios bens. Ela foi colocada sob tutoria de sua filha e netos e foi substituída no quadro da L’Oréal por seu neto Jean-Victor Meyers no ano seguinte. Então, em 2015, um tribunal condenou oito pessoas por tirarem milhões de dólares de Liliane.

Liliane deixa como herdeiros sua filha, Françoise, seu genro, Jean-Pierre Meyers, e dois netos.

Comentários
Topo