Ser Educacional fará aumento de capital de até R$ 400 mi

iStock
O aumento de capital será feito com emissão de entre 8,2 milhões e 13,9 milhões de ações (iStock)

A Ser Educacional anunciou nesta terça-feira (12) que seu conselho de administração aprovou aumento de capital de valores entre R$ 236,5 milhões e R$ 400 milhões em um momento em que negocia aquisição de uma instituição de ensino superior.

LEIA MAIS: Ser Educacional cancela oferta pública primária de ações

A Ser Educacional afirmou em comunicado ao mercado que “participa atualmente de um processo competitivo para a aquisição de participação societária majoritária em instituição de ensino superior” e que assinou exclusividade para processo de verificação dos números do ativo.

A Ser não deu detalhes sobre o ativo, mas afirmou que as negociações estão em estágio preliminar e que não espera concluir um acordo até o final deste ano.

Por conta dessa expectativa, a companhia afirmou que o aumento de capital pretendido não está vinculado à negociação para compra do ativo.

A Ser disse que a capitalização será feita via emissão de ações para fortalecer sua estrutura de capital para eventuais aquisições e crescimento orgânico.

O aumento de capital será feito com emissão de entre 8,2 milhões e 13,9 milhões de ações para subscrição privada ao preço de R$ 28,80 por papel. A ação encerrou esta terça-feira a R$ 31,90.

Venda de ações do controlador

A Ser afirmou ainda que o controlador, José Janguiê Bezerra Diniz, que detém 70% das ações ordinárias, decidiu colocar à venda até 11,13% do capital da empresa, fatia equivalente a 13.888.889 ações.

VEJA TAMBÉM: Ser Educacional pode refazer oferta pela Estácio

A venda das ações de Janguiê será feita na bolsa e poderá ocorrer durante o prazo para os acionistas da Ser exercerem direito de preferência no aumento de capital, que terá o Credit Suisse como investidor financeiro.

Segundo a empresa, o Credit Suisse assumiu compromisso de subscrição da quantidade mínima de ações no aumento de capital da empresa por meio de acordo em que Janguiê vai ceder direito de preferência e emprestar ações detidas por ele.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).