Negócios

Apple deve substituir reconhecimento de impressão digital pelo facial

Reuters

A lógica por trás da decisão é a vantagem competitiva que a tecnologia dá à Apple, já que levaria muitos anos para os rivais Android desenvolverem algo parecido. (Reuters)

Ming-Chi Kuo está de volta. Considerado “o melhor analista Apple do planeta”, o profissional da KGI Securities revelou em relatório obtido pelo site especializado “Macrumors” que a empresa decidiu abandonar o sensor de impressão digital Touch ID e não irá oferecê-lo em nenhuma das próximas gerações de iPhone.

VEJA TAMBÉM: Lançamentos da Apple apontam para um futuro sem iPhones

Kuo diz que o Touch ID será substituído pelo Face ID, a animadora porém controversa tecnologia de reconhecimento facial que será lançada no iPhone X. A lógica por trás da decisão é a vantagem competitiva que a tecnologia dá à Apple, já que levaria muitos anos para os rivais Android desenvolverem algo parecido.

Não é preciso dizer que essa é uma grande aposta da Apple, mesmo antes de o Face ID ter sequer chegado ao mercado. Além disso, a tecnologia provavelmente se provará controversa por uma série de razões. Primeiramente, mesmo se funcionar tão bem quanto o Touch ID, há muitos cenários em que a ação física de desbloquear seu celular olhando para ele não será tão conveniente ou sutil quanto usar uma impressão digital. Isso significa tudo, de tentar alinhar seu rosto enquanto caminha ou corre a silenciosamente mexer no celular embaixo da mesa durante uma reunião.

Em segundo lugar, ainda que a Apple prometa que não irá acessar seus dados, o Face ID constrói uma modelo 3D detalhado do rosto para identificação. Então, se a ideia de o celular coletar impressões digitais preocupava muitos usuários, pensar que existirá uma gravação digital do formato exato do rosto provavelmente será ainda menos animador.

Em terceiro lugar, leituras biométricas funcionam melhor em combinação, como tocar um sensor de impressão digital enquanto seu rosto é escaneado. A decisão da Apple de substituir um pelo outro não traz muito progresso em segurança, como mostraram testes. A própria empresa sugere que o Face ID não deveria ser utilizado por gêmeos idênticos, por exemplo.

LEIA: Atraso na entrega do iPhone X pode prejudicar a Apple no trimestre das compras de Natal

O Face ID, no caso do iPhone X, irá permitir algumas ferramentas secretas incríveis, mas, segundo o analista, não há razão para remover o Touch ID completamente. Ele poderia ser integrado ao botão de ligar e desligar, na parte de trás do celular ou (em breve) embaixo da tela. Ter tanto o Face ID quanto o Touch ID ofereceria aos proprietários escolha, flexibilidade e mais segurança.

Ainda assim, a Apple parece pensar diferente. Segundo Kuo, os iPads de 2018 terão também o Face ID (provavelmente no lugar do Touch ID), apesar de não haver rumores sobre isso chegar a dispositivos de mesa por enquanto.

Comentários
Topo