Negócios

Celular do Google enfrenta problemas e empresa envia desculpas a clientes

Getty Images

O Pixel 2 e o Pixel 2 XL têm preços a partir de US$ 649 e chegaram às lojas na quinta-feira (19) (Getty Images)

O lançamento da segunda versão do celular do Google tem sido atingido por problemas em telas, preços e de envio, o que fez a companhia abrir uma investigação e emitir múltiplos pedidos de desculpas a clientes.

LEIA MAIS: Google paga US$ 1,1 bi por divisão Pixel da HTC

O Pixel 2 e o Pixel 2 XL, que têm preços a partir de US$ 649 e chegaram às lojas na quinta-feira (19), são parte importante da estratégia do Google de disputar mercado com o iPhone, da Apple, diretamente.

Mas os usuários iniciais do Pixel 2 têm manifestado frustração com problemas que incluem um potencialmente sério defeito na tela.

O Google disse, no domingo (22), que está investigando se as imagens estão ficando queimadas na tela do Pixel 2 depois de um relato publicado no blog “AndroidCentral” que detalhou o problema após uma semana de uso.

A companhia provavelmente vai precisar interromper produção se houver algum problema, disse Ryan Reith, analista da empresa de pesquisa de mercado IDC.

“Levamos a sério todos os relatos apresentados e nossos engenheiros iniciaram rapidamente uma investigação”, disse Mario Queiroz, vice-presidente de produto do Google encarregado pelo Pixel. “Vamos divulgar detalhes assim que tivermos dados conclusivos.”

VEJA TAMBÉM: Google lança ferramenta para pagamento online

Avaliadores e usuários em fóruns online também informaram problemas de barulhos durante chamadas e conexões Bluetooth fracas entre o Pixel 2 e outros dispositivos. O Google não comentou de imediato estas questões.

Na sexta-feira (20), a empresa prometeu reembolsar uma série de pessoas que pagaram US$ 30 a mais pelo Pixel 2 vendido pela Verizon Wireless. O valor a mais “foi um erro”, disse o Google em pedido de desculpas.

O Google também enviou emails no final de semana para compradores avisando que a entrega do Pixel 2 pode ser atrasada em até um mês, para o final de novembro, informou o blog “AndroidPolice”. O Google não comentou a informação.

No mês passado, o gigante de buscas fez uma aposta significativa no mercado de smartphones ao anunciar a compra de uma equipe de desenvolvimento de hardware da HTC por US$ 1,1 bilhão.

Comentários
Topo