Negócios

Chiara Ferragni, “It Girl” do Instagram, começa a erguer um império fashion

Reprodução/Instagram

Em seu relatório de 2015, Harvard projetou receitas anuais de pelo menos US$ 9 milhões para a blogueira fashion de Milão e sua equipe. (Reprodução/Instagram)

Não pode haver incentivo melhor para uma blogueira fashion que se tornou influenciadora virar uma executiva de negócios do que um estudo de caso da Harvard Business School sobre o sucesso de seu website.

VEJA TAMBÉM: Como influenciadores e marcas podem confiar um no outro

Foi exatamente assim que Chiara Ferragni começou a provar que seu blog, “The Blonde Salad”, era uma verdadeira marca de luxo, com muitas parcerias de sucesso.

Em seu relatório de 2015, a universidade projetou receitas anuais de pelo menos US$ 9 milhões para a blogueira fashion de Milão e sua equipe. Desde então, Chiara e o “The Blonde Salad” só alcançaram bons feitos: ela lançou sua própria linha de vestuário e acessórios e hoje emprega 20 funcionários em um site de moda que compete com plataformas de mídia tradicionais.

Aos 30 anos, Chiara ocupa a primeira posição na categoria Moda da lista FORBES de Top Influencers, ao lado de outros empreendedores que foram além da esfera de blogs e lançaram linhas de roupas e assinaram contratos de patrocínio muito lucrativos.

“Acho que os influenciadores são a nova mídia”, disse Chiara, em uma entrevista a FORBES, em uma suíte de hotel durante o New York Fashion Week, em setembro. “No passado, as pessoas tinham muito interesse em ler notícias de moda em uma revista, agora, elas buscam essa informação nas redes sociais, por meio de influenciadores.”

LEIA: A pilota de supercarros que virou febre em Dubai

Chiara começou seu blog em 2009, quando era estudante de direito em seu país natal, Itália. “Realmente, comecei o ‘The Blonde Salad’ no melhor momento possível. Foi quando o mundo começou a falar sobre o fenômeno dos blogs de moda. As marcas começaram a me procurar desde o início.”

Enquanto trabalhava com conteúdo patrocinado e campanhas de publicidade de marcas de design como Guess e Gucci, Chiara planejava lançar a sua própria linha. Sua estreia foi com sapatos e, desde o começo, sua assinatura era reconhecível: tênis, mochilas e sapatos fofos e confortáveis, principalmente, com um olho que lembra o de um emoji.

Seus produtos estão disponíveis em 350 lojas, incluindo unidades próprias em Milão e Xangai. O mercado asiático é uma prioridade para Chiara e seu time, com 20 lojas programadas para abrir na China em breve.

Enquanto isso, Chiara mantém seus mais de 10,3 milhões de fãs no Instagram interessados por fotos que intercalam viagens de moda e roupas chiques com fotos dela na cidade com seu noivo, o rapper italiano Fedez. Ela também trabalha em seu legado, preparando sua irmã mais nova, Valentina Ferragni (1,3 milhão de seguidores no Instagram), para ser a próxima estrela de Milão nas redes sociais.

Comentários
Topo