Negócios

iPhone X é o melhor celular da Apple e reconhecimento facial funciona bem

Reuters

Críticos elogiam eficiência do FaceID e a tela OLED (Reuters)

As primeiras críticas sobre o aguardado o iPhone X, da Apple, já foram publicadas e o veredicto é claro: é o melhor iPhone já criado.

LEIA TAMBÉM: Lançamentos da Apple apontam para um futuro sem iPhones

O lançamento do celular, agendado para a próxima sexta-feira (3), foi tomado por preocupações sobre a distribuição e a funcionalidade do novo sistema de acesso por reconhecimento facial.

Com preço base de US$ 999, também é o telefone mais caro que a empresa já lançou, mas a avaliação dos analistas do setor é que a demanda pelo aparelho já está superando a oferta.

“É fino, é poderoso, tem ideias ambiciosas sobre o uso de câmeras em celulares e leva o design de aparelhos a novos lugares”, disse Nilay Patel em crítica publicada pela “Verge”.

VEJA MAIS: Apple anuncia iPhone mais caro da história

O iPhone X não traz o botão “home”, um recurso que consta de versões anteriores do aparelho. Para ativar o modelo os usuários precisam apenas tocar na tela.

O sensor de impressão digital também desapareceu, substituído pelo polêmico sistema de reconhecimento facial, que desbloqueia o telefone ao reconhecer o rosto do usuário com a ajuda de uma câmera infravermelha na tela.

Os críticos tinham dúvidas se o recurso de FaceID seria eficiente, mas o sistema funciona mesmo que o usuário mude sua aparência, usando óculos de sol, por exemplo. “Eu tentei com pelo menos cinco dos meus colegas de trabalho. Nenhum dos rostos deles desbloqueou o meu aparelho”, disse o crítico da “CNET” Scott Stein, acrescentando que todos os testes funcionaram muito melhor do que o recurso da Samsung no Galaxy Note 8.

E MAIS: Como o iPhone mudou a Apple em uma década

O iPhone X também possui carregamento sem fio e marca a primeira vez que a Apple usa uma tela OLED em um celular.

“Eu tive minhas dúvidas porque os Samsung Galaxy S8 e Galaxy Note 8 estavam no topo da minha lista. Mas a Apple pegou telas da Samsung e seus engenheiros as ajustaram bem”, disse Todd Haselton, da CNBC.

Comentários
Topo