Negócios

Justiça manda Gol e TAM complementarem indenização a famílias de vítimas de acidentes

Divulgação

O Tribunal Regional Federal da 3ª Região decidiu que as companhias aéreas Gol e TAM, do grupo Latam, terão de pagar complementações de indenização às famílias de vítimas em acidentes ocorridos em 2006 e 2007.

LEIA TAMBÉM: Latam Airlines diz que Cade aprova sem restrição acordo com American Airlines

As complementações elevam em 10 vezes os valores pagos pelas companhias aéreas envolvendo indenizações às famílias de 154 mortos na queda do avião da Gol no Mato Grosso, em 2006, e de 199 vítimas fatais do avião da TAM que saiu da pista do aeroporto de Congonhas, chocando-se contra um prédio na cidade de São Paulo.

A decisão veio após recurso movido pelo Ministério Público Federal, que questionou o valor de R$ 14.223,64 de indenização pagos pelas duas companhias aéreas, afirmou o MPF em comunicado à imprensa nesta quarta-feira.

Segundo o MPF, esse valor foi adotado de acordo com os parâmetros do Instituto de Resseguros do Brasil (IRB), porém, segundo o tribunal, a resseguradora não tinha competência para fixar o índice de correção a ser aplicado ou até mesmo um valor fixo de indenização.

“O valor do seguro referente ao acidente da Gol, pela correção do Conselho da Justiça Federal, seria de R$ 112 mil, e da TAM, R$ 116 mil”, afirmou o MPF.

No acórdão publicado ontem (10), a juíza federal Leila Paiva afirmou que “se fossem aplicados os critérios de correção inscritos na Tabela de Correção Monetária da Justiça Federal a indenização seria aproximadamente dez vezes maior. Não se trata de uma diferença ‘aceitável’ , mas absolutamente gritante”.

Procurada, a Latam Arlines Brasil afirmou que ainda não foi notificada da decisão do tribunal e que “aguarda os documentos para se manifestar nos autos do processo” e que não comenta sobre valores de indenizações “por questões de segurança e de privacidade dos próprios familiares”.

Comentários
Topo