Negócios

Petrobras diz que tomará medidas judiciais para manter venda de ativos à Total

“A companhia tomará todas as medidas judiciais cabíveis para garantir seus interesses e de seus acionistas”, informou a Petrobras, em comunicado.

A Petrobras informou hoje (11) que ainda não foi intimada de decisão judicial contra uma operação de venda de fatias na área de Iara e no campo de Lapa para a francesa Total, mas ressaltou que agirá para manter a transação.

VEJA TAMBÉM: Petrobras coloca à venda ativos em fertilizantes e prevê saída do setor

“A companhia tomará todas as medidas judiciais cabíveis para garantir seus interesses e de seus acionistas”, informou a Petrobras, em comunicado.

O jornal “Valor Econômico” publicou hoje que a Justiça Federal de Sergipe concedeu liminar que suspende a transação entre Petrobras e Total após uma ação popular.

Cade pede estudos sobre compra de ativos por Petrotemex

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) considerou complexa a compra pelo grupo mexicano Petrotemex da Companhia Petroquímica de Pernambuco (Suape) e da Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco (Citepe), ativos da Petrobras.

A Superintendência-Geral do Cade determinou a elaboração de estudo econômico quantitativo sobre os impactos da operação sobre a concorrência, solicitou dados de concorrentes e facultou às empresas apresentarem dados sobre as eficiências geradas pela transação, segundo despacho publicado no Diário Oficial das União de hoje.

LEIA: Justiça suspende negócio entre Petrobras e Total por Termobahia

A venda da Petroquímica Suape e da Citepe para os mexicanos da Petrotemex e sua subsidiária Dak Americas Exterior foi aprovada em 28 de dezembro pela Petrobras, por US$ 385 milhões, em um negócio que faz parte do plano de de investimentos e parcerias da petroleira.

Em comunicado, hoje, a Petrobras disse que “continuará colaborando com o Cade com vistas a obter a aprovação da operação dentro do prazo legal e manterá o mercado informado”.

Uma vez que o processo referente à transação foi considerado complexo, o Cade ainda poderá requerer um aumento do prazo para análise para até 330 dias, ante 240 dias, acrescentou a estatal no comunicado.

Comentários
Topo