Negócios

25 curiosidades sobre o homem mais rico da China

A pessoa mais rica da China em 2015 e 2016, Wang Jianlin, é dona da cadeia de cinemas norte-americana AMC e da produtora Hollywood Legendary Entertainment. O mais rico de 2014, Jack Ma, lidera uma das empresas de e-commerce mais conhecidas do mundo, o Alibaba Group, listado na bolsa de valores de Nova York. Ambos são pessoas internacionalmente importantes, que viajam o mundo e discursam em eventos globais.

LEIA MAIS: Fortuna de bilionário chinês cresce US$ 8 bilhões em 48 horas

Ao contrário dos dois, o homem mais rico da China em 2017 na lista de FORBES, Hui Ka Yan, segue relativamente sem chamar a atenção, evita a imprensa e fica boa parte do tempo em casa. O que ele tem em comum com seus antecessores – e que, dado a turbulência do mercado chinês de ações, poderiam um dia ultrapassá-lo de novo – são as grandes ambições. Sua principal empresa listada, o China Evergrande Group, incorporadora do mercado imobiliário, começou a vender apartamentos e casas em 546 projetos a partir de metade de 2017, abrangendo 209 cidades, 30 províncias e outros distritos na China.

A empresa também mostrou interesses comerciais nas áreas de finanças e turismo. O próprio Hui é fã de esportes, sendo proprietário de mais da metade de um dos times de futebol da China com a maior quantidade de prêmios ao lado do Alibaba Group, de Jack Ma.

Veja 25 curiosidades sobre o homem mais rico da China e seus negócios:

  • 1. Hui nasceu em 1958 em uma vila de Henan, uma província chinesa.

  • 2. Sua mãe teria morrido quando ele ainda era jovem e foi criado pelo pai.

  • 3. Hui entrou na faculdade em 1978, em uma escola especializada em preparar os estudantes para trabalharem na indústria siderúrgica.

  • 4. Depois de se formar em 1982, trabalhou como técnico em uma fábrica de aço na cidade de Wugang, em Henan, por uma década.

  • 5. Mudou-se para o centro empresarial sulista da província Guangdong em 1992, fundou uma empresa e começou um negócio no setor imobiliário.

  • 6. Formou a Evergrande Real Estate em 1996 com menos de 20 funcionários. Sua ideia era construir pequenos apartamentos.

  • 7. Até 2004, a Evergrande teve 20 projetos e se tornou uma das maiores incorporadoras do mercado imobiliário de Guangzhou.

  • 8. A partir de 2006, a empresa passou a conquistar investidores internacionais incluindo a Merrill Lynch, o Temasek of Singapore e o Deutsche Bank.

  • 9. A Evergrande tornou-se pública no mercado de ações de Hong Kong em 2009. O nome da empresa foi alterado de Evergrande Real Estate para China Evergrande Group em junho de 2016.

  • 10. Até a metade de 2017, o China Evergrande Group tinha 102.454 funcionários. 3.622 pessoas foram contratadas por meio de um processo de recrutamento aberto no primeiro semestre de 2017.

  • 11. Nos primeiros seis meses de 2017, a Evergrande começou 74 novos projetos do mercado imobiliário em 59 cidades – as vendas totalizaram 244.1 bilhões de yuans ou US$ 37 bilhões.

  • 12. Em 9 de novembro, a agência de classificação de risco Moody’s atualizou a nota da Evergrande para B1 – abaixo do grau de investimento – na expectativa de que a empresa continue a desalavancagem e mantenha a liquidez suficiente nos próximos 12 a 18 meses.

  • 13. A Evergrande comprou o controle do New Media Group listado em Hong Kong em 2015 e mudou o nome da empresa para Evergrande Healthcare, um negócio de serviços de saúde. Entre os parceiros está o Harvard Brigham and Women’s Hospital, associado à faculdade de medicina de Harvard.

  • 14. O China Evergrande Group também adquiriu a fornecedora de polisilício Mascotte Holdings, listada em Hong Kong em 2015, atraiu investimentos da Tencent e mudou seu nome para Hengten Networks. Hoje, a Evergrande é dona de 54% da fornecedora de serviços de internet.

  • 15. Além do mercado imobiliário, a Evergrande é talvez mais conhecida na China por seu clube de futebol. Ela pagou US$ 15 milhões pelo Guangzhou Football Club em 2010 e mudou seu nome para Guangzhou Evergrande FC.

  • 16. Em junho de 2014, o Alibaba Group, de Jack Ma, investiu US$ 182 milhões no clube de futebol, cujo nome foi alterado para “Guangzhou Evergrande Taobao FC”. A Evergrande e o Alibaba Group possuem, respectivamente, 57% e 37% do time desde junho de 2017.

  • 17. O clube de futebol de Hui foi campeão da Super Liga Chinesa por sete anos consecutivos.

  • 18. O Guangzhou Evergrande Taobao Football Club fez algo inédito no mercado de capitais da China: começou a ser negociado na bolsa do país em novembro de 2015.

  • 19. O China Evergrande Group mudou suas sedes – concentradas durante muito tempo em Guangzhou – para Shenzhen em agosto de 2017.

  • 20. Hui e sua família são donos de 77% do China Evergrande Group.

  • 21. A Evergrande levantou, em 2017, 120 bilhões de yuans (US$ 18 bilhões) em capital para uma de suas subsidiárias, o Hengda Real Estate Group. Entre os investidores estão empresas relacionadas ao mercado imobiliário e de construção, como o Suning Group, o Shum Yip Group, o Shandong Hi-Speed Group e o Grandland Group.

  • 22. A Evergrande também comete erros: perdeu mais de 7 bilhões de yuans (US$ 1,1 bilhão) na primeira metade de 2017 no investimento de ações da China Vanke, outra grande incorporadora do mercado imobiliário chinês.

  • 23. O bilionário Joseph Lau, de Hong Kong, tem uma participação na Evergrande.

  • 24. Hui está envolvido na política como integrante do Comitê Nacional da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês.

  • 25. Hui, que doou aproximadamente US$ 260 milhões no último ano para educação e outras causas beneficentes, ficou em segundo lugar na lista FORBES de filantropia na China. Em um discurso de 28 de setembro de 2017, ele disse que “retribuir à sociedade é uma responsabilidade das empresas privadas”. A Evergrande ofereceu 11 bilhões de yuans (US$ 1,7 bilhão) para ajudar a tirar 924.300 indivíduos de baixa renda da pobreza na província Guizhou até 2020.

1. Hui nasceu em 1958 em uma vila de Henan, uma província chinesa.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).

Comentários
Topo