Negócios

Bilionário do Uber promete doar metade da sua fortuna para caridade

Getty Images

Camp anunciou em seu blog sua filiação ao Giving Pledge (Getty Images)

Uma viagem a Paris em 2008 – onde, com o amigo Travis Kalanick, teve dificuldade de conseguir um táxi devido ao mau tempo – inspirou Garret Camp a se tornar um dos fundadores da Uber, a gigante empresa de transporte por aplicativo que o tornou bilionário. Atualmente, quase uma década depois, Camp novamente encontrou inspiração durante uma viagem – desta vez, para doar metade de seus bilhões.

LEIA MAIS: Saiba quem é o brasileiro que faz parte do Giving Pledge

Depois de passar duas semana no Quênia, onde foi para participar de um safári e aproveitou para conhecer áreas rurais e pequenas cidades, Camp anunciou em seu blog sua filiação ao Giving Pledge, campanha criada por Bill Gates e Warren Buffett para estimular bilionários a doar ao menos metade de suas fortunas para causas filantrópicas. “Eu passei 15 anos focado especialmente em startups e, apesar de ainda ter paixão pela criação de produtos úteis, eu também percebi que não deveria esperar para começar a oferecer o retorno”, escreveu Camp.

O magnata de 39 anos que, segundo a última lista de FORBES possui patrimônio de US$ 5,1 bilhões, diz que logo irá se restabelecer e começar a pesquisar para onde quer direcionar seus esforços. “Minha meta é encontrar algumas áreas de interesse onde eu possa trabalhar com outras pessoas para criar sistemas e produtos que terão um grande impacto positivo”, disse.

Cidadão canadense com residência em São Francisco, Camp cofundou a ferramenta de descoberta de sites e conteúdos web StumbleUpon in 2001, quando ainda era um estudante na Universidade de Calgary. O jovem visionário vendeu a StumbleUpon para o eBay em 2007, por US$ 75 milhões, mas a comprou de volta e continua sendo o presidente da empresa. Em 2013, fundou a Expa, uma startup que conta com investidores do porte de Richard Branson e Meg Whitman.

Camp mantém seu cargo de diretor na Uber, companhia avaliada em US$ 68 bilhões no passado por investidores privados, mas que vem sofrendo desvalorização devido a uma série de escândalos e erros. Em junho, o cofundador Travis Kalanick renunciou ao comando da empresa em meio à pressão dos investidores. Na semana passada, a companhia confessou que hackers roubaram dados pessoais de 57 milhões de clientes e de motoristas em 2016 – e que executivos da Uber encobriram o vazamento das informações por um ano.

VEJA TAMBÉM: Conheça os 14 novos bilionários que, assim como Buffett e Gates, vão doar suas fortunas

Camp, talvez se referindo à recente turbulência, terminou seu anúncio dizendo: “Obrigado a todos que me ajudaram a colocar as coisas em perspectiva nos últimos meses”.

Comentários
Topo