Negócios

Fortuna do bilionário saudita Alwaleed bin Talal despenca após sua prisão

GettyImages

Talal, 62 anos, é sobrinho do atual rei Salman bin Abdulaziz al Saud e primo do Príncipe Herdeiro. (GettyImages)

Com as notícias ao longo do último final de semana de que o príncipe bilionário Alwaleed bin Talal foi preso na Arábia Saudita, veio um segundo golpe: uma queda de mais de US$ 2 bilhões em seu patrimônio.

VEJA TAMBÉM: 4 ex-bilionários que perderam suas fortunas entre 2016 e 2017

Talal, um membro da família real saudita e o homem mais rico do Oriente Médio segundo a lista de bilionários FORBES, foi preso de Riad, na Arábia Saudita, no último sábado (4), junto de ao menos uma dúzia de outros sauditas proeminentes, em meio a uma ação punitiva contra a corrupção. As más notícias fizeram com que as ações da Kingdom Holding, da qual Talal tem 95% de participação, caíssem. Como resultado, ele agora tem patrimônio avaliado em US$ 15,9 bilhões, bem menos do que os US$ 18,7 bilhões do sábado.

A Kingdom Holding tem participações em uma ampla gama de empresas como o Citigroup, o Twitter, a cadeia de gestão de hotéis Four Seasons, a empresa de caronas compartilhadas Lyft, o Hotel George V, em Paris, e o Savoy Hotel, em Londres.

A prisão de Talal veio a pedido de um poderoso novo comitê anticorrupção, liderado pelo Príncipe Herdeiro saudita, Mohammed bin Salman. O bilionário Saleh Kamel e ao menos outra dúzia de homens de negócios e políticos do país também foram presos.

Na segunda-feira, o CEO da Kingdom Holdings deu uma declaração confusa e sem sentido e disse que o “Reino da Arábia Saudita tem plena confiança na Kingdom Holding Company [KHC]”. Disse ainda: “Não estou surpreso com o voto de confiança do governo enquanto a KHC segue sua estratégia de investimento e suas operações de negócio globais”.

LEIA: Rei da Arábia Saudita suspende colunista por excesso de elogio

Ahmed Hindawy, analista sênior do banco de investimento Albilad Capital, interpretou a declaração como um sinal de que as operações da Kingdom Holding continuarão normalmente. “O governo está muito disposto a manter a situação sob controle porque a Kingdom Holding é uma grande empresa e é do interesse de todos mantê-la bem-sucedida”, disse Hindawy. “Não é claro no momento se as alegações de corrupção estão ligadas à Kingdom Holding ou apenas ao príncipe detido e às outras pessoas acusadas”, acrescentou. Segundo o jornal “New York Times”, nenhuma queixa formal foi registrada com as prisões.

Representantes da Kingdom Holding não responderam a solicitações de comentários.

Talal, 62 anos, é sobrinho do atual rei Salman bin Abdulaziz al Saud e primo do Príncipe Herdeiro. O bilionário se formou na Menlo College, na Califórnia, e na Universidade de Syracuse, em Nova York, antes de fundar a Kingdom Holding em 1980. O príncipe também detém a maior parte da empresa de entretenimento em árabe Rotana, imóveis na Arábia Saudita e outros ativos.

Comentários
Topo