Negócios

Grupo Volkswagen destina US$ 11,8 bi para modelos elétricos

Getty Images

O grupo pretende lançar 15 dos chamados novos veículos elétricos nos próximos dois a três anos (Getty Images)

O Grupo Volkswagen disse nesta quinta-feira (16) que planeja investir € 10 bilhões (US$ 11,8 bilhões) até 2025 para desenvolver e fabricar veículos híbridos e totalmente elétricos, à medida que busca cumprir as regras rigorosas na China.

LEIA MAIS: Corte de gastos e novos modelos elevam lucro da Volkswagen

O grupo, que inclui a Volkswagen e Audi, pretende lançar 15 dos chamados novos veículos elétricos (NEV, na sigla em inglês) nos próximos dois a três anos, e mais 25 modelos após 2025, disse à Reuters o diretor para China da empresa, Jochem Heizmann.

As cotas de produção e venda de NEV no país, que devem ser atendidas até 2019, provocaram uma enxurrada de negócios de carros elétricos e lançamentos, já que as montadoras chinesas competem para garantir que estarão dentro dos limites de produção. Os fabricantes de automóveis que ficarem abaixo das metas terão de comprar créditos com outras empresas.

Atualmente, a Volkswagen tem cerca de 10 NEVs no mercado chinês, embora todos sejam modelos importados com volumes de vendas limitados, de acordo com uma porta-voz da empresa.

Ao falar antes da Feira de Automóveis de Guangzhou, Heizmann acrescentou que o grupo pretende vender 400 mil novos veículos elétricos por ano na China até 2020 e 1,5 milhão por ano até 2025. Os NEVs referem-se a carros de bateria totalmente elétricos e híbridos plug-in fortemente eletrificados.

VEJA TAMBÉM: Volkswagen não tem pressa de vender ativos, investimento é mais importante, diz executivo

Heizmann disse que alguns desses modelos terão autonomia de 400 a 600 quilômetros com uma única carga completa. Em comparação, o Model S da Tesla tem uma autonomia de 490 a 632 quilômetros dependendo da capacidade da bateria, de acordo com a empresa.

O Grupo Volkswagen também está confiante de que suas empresas e seus parceiros de joint ventures locais poderão gerar um volume de vendas de elétricos suficiente para atingir as cotas até 2019, disse Heizmann, acrescentando que não haverá necessidade de comprar créditos.

A Feira de Automóveis de Guangzhou começa na sexta-feira (17).

Comentários
Topo