Negócios

Brasileira cria empresa referência no agronegócio e parceira da Nasa

Divulgação

Mariana Vasconcelos, fundadora da Agrosmart (Divulgação)

As dificuldades de acesso à internet no campo não impediram que a jovem mineira Mariana Vasconcelos desenvolvesse soluções para os produtores agrícolas por meio da inteligência artificial – pelo contrário, a estimularam. Em 2014 ela fundou uma empresa, a Agrosmart, cuja proposta e inovações a tornariam referência no agronegócio. Em junho de 2017, recebeu o troféu Operational Excellence no Agtech Summit, evento organizado por FORBES em Salinas (Califórnia), que reuniu importantes players do agronegócio mundial para apresentar as últimas inovações no segmento. O reconhecimento na premiação de FORBES veio depois que a Agrosmart se tornou parceira da Nasa na área de imagem de satélites.

LEIA MAIS: BNDES lança fundo de R$ 100 mi para impulsionar startups brasileiras

A parceria foi celebrada em 2015, após a startup ganhar uma bolsa na Singularity University, que funciona como centro de pesquisa da agência espacial norte-americana. A empresa também participou, no início de 2016, do programa de aceleração do Google. Neste ano, foi selecionada como membro da Kayros Society, entidade que reúne as 50 startups mais inovadoras do mundo e que ajuda empreendedores a desenvolver seus modelos de negócio.

Divulgação

Sensores captam dados para melhorar a produtividade da safra (Divulgação)

A solução da Agrosmart, fundada em Itajubá (MG), propõe o monitoramento das lavouras das fazendas de uma determinada região a partir de sensores instalados no solo, que se comunicam entre si por meio de radiofrequência. Ao processar os dados dos sensores com imagens de satélite, a plataforma identifica padrões e recomenda as melhores condições de plantio e irrigação, levando a uma redução de até 60% no consumo de água e de 40% no de eletricidade, além de aumentar a produtividade em 15%. “Levamos valor para toda a cadeia do agronegócio”, afirma Mariana, explicando que as soluções são aplicadas na indústria de sementes (para customizar a genética), assim como na indústria alimentícia (que pode monitorar o impacto ambiental da cadeia produtiva e adotar medidas para reduzi-lo).

Atualmente a Agrosmart oferece soluções para as lavouras de café, cana, grãos e frutas. A sede da empresa fica em Campinas, no interior de São Paulo, mas mantém dois escritórios nos Estados Unidos: um em Salinas e outro na Filadélfia.

 

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br)

Comentários
Topo