Dubai irá se tornar o primeiro governo movido por blockchain

iStock
Até 2020, o emirado espera que que todas as solicitações de vistos, pagamentos de multas e renovações de licenças, que somam mais de 100 milhões de documentos anualmente, sejam transacionados digitalmente utilizando blockchain. (iStock)

Apelidada de “cidade do futuro”, Dubai, que planeja ter policiais robôs, táxis voadores e veículos autônomos em suas ruas nos próximos anos e elegeu um ministro responsável por inteligência artificial recentemente, está planejando mais uma transformação: tornar-se o primeiro governo do mundo movido por blockchain.

VEJA TAMBÉM: Dubai inicia testes em tentativa de se tornar primeira cidade com táxis voadores

Até 2020, o emirado espera que que todas as solicitações de vistos, pagamentos de multas e renovações de licenças, que somam mais de 100 milhões de documentos anualmente, sejam transacionados digitalmente utilizando blockchain.

De acordo com a iniciativa governamental batizada de Smart Dubai, que está promovendo workshops para o governo e para organizações privadas para identificar os serviços com potencial de aprimoramento por meio da adoção da tecnologia, a estratégia poderia economizar 25,1 milhões de horas de trabalho – e US$ 1,5 bilhão – por ano.

Os imóveis também não vão escapar da revolução do blockchain. Com a intenção de transformar radicalmente a forma como as pessoas compram, vendem e alugam imóveis, a Dubai Land Department (DLD), agência do governo que tem como objetivo supervisionar as compras de propriedades e regular o comércio imobiliário, lançou, em outubro, um sistema movido a blockchain para aumentar o nível de segurança das transações financeiras, registrar eletronicamente todos os contratos e imóveis e conectar proprietários e inquilinos para contas relacionadas às propriedades, como energia, água e telecomunicações.

LEIA: 9 tendências tecnológicas que vão mudar o mundo

“Nosso objetivo é unir todos os serviços de imóveis e do departamento em uma única plataforma”, diz Sultan Butti bin Mejren, diretor geral do DLD. “Essa iniciativa ainda está em estágio inicial. Em um futuro próximo, nós veremos muitos parceiros se juntando ao blockchain para aprimorar seus serviços de atendimento ao cliente, como bancos, concessionárias de empréstimos e empresas de serviços e operações de manutenção.”

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).