Negócios

Por que Hollywood irá se tornar palco de uma nova guerra entre os estúdios

Nesta quarta-feira (13), estreou “Star Wars: Os últimos Jedi”. A Disney irá lucrar cerca de US$ 1,5 bilhões com o filme (Getty)

Com a compra da Fox pela Disney, anunciada hoje (14), Hollywood começará uma nova briga entre os estúdios Universal/Comcast Corp., Warner Bros./Time Warner Inc. e Walt Disney/Fox.

VEJA TAMBÉM: A força da grana por trás da saga Star Wars

Há muito mais em jogo do que apenas público de cinema. Por um lado, é provável que a Walt Disney transforme o Hulu em seu serviço de streaming particular, o que o colocaria em pé de igualdade, em termos relativos, com Netflix e Amazon. Porém, se for considerado apenas o público de cinema, esse acordo irá solidificar o domínio total dos três maiores estúdios dos EUA.

A Walt Disney domina, atualmente, 18,4% da bilheteria doméstica, enquanto a Warner Bros./Time Warner Inc. lidera, com 20,1%. A Universal, se considerado a Focus Features, é a terceira colocada, com 15,8%, e a Fox corresponde a 13% do mercado de cinema dos Estados Unidos de 2017. Ainda que a Disney esteja, atualmente, atrás da Warner Bros./Time Warner Inc. em participação no mercado doméstico, é perto o suficiente para que “O Último Jedi” a coloque no topo.

A participação de mercado não é a única medida de sucesso. No final das contas, se o planejamento de um estúdio for lucrativo, isso não significa muito. Mas, assumindo que a Disney não irá reduzir drasticamente a Fox e a Fox Searchlight nos cinemas, a indústria como um todo irá quase instantaneamente se tornar uma guerra de três lados, com Disney/Fox controlando entre 30% e 40% do mercado, enquanto a Universal e a Warner Bros. terão participação entre 15% e 20% cada.

A batalha será dura. A Universal transformou o que seriam filmes de contraprogramação (“Lucy”, “Descompensada”, “Straight Outta Compton: A História do N.W.A.”, “Corra!” e “Atômica”) em longas principais, enquanto ofereceu algumas grandes franquias (“Velozes e Furiosos”, “Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros” e a marca Illumination). A Warner Bros. joga uma enxurrada de filmes de todos os formatos e tamanhos enquanto seus departamentos de marketing têm um dom para transformar coisas como “Magic Mike”, “Sniper Americano” e “It: A Coisa” em grandes sucessos. Além disso, eles merecem crédito por levar a “Mulher Maravilha” a um faturamento de US$ 821 milhões globais.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br)

Comentários
Topo