Negócios

Consórcio da CCR vence leilão de linhas do Metrô de SP com ágio de 185%

iStock

O consórcio Via Mobilidade venceu hoje o leilão de concessão de duas linhas do Metrô de São Paulo (iStock)

O consórcio Via Mobilidade, liderado pela CCR, venceu hoje (19) o leilão de concessão das linhas 5-Lilás e 17-Ouro do Metrô de São Paulo, com ágio de 185% em relação ao valor mínimo de outorga.

LEIA MAIS: Four Seasons estreia conceito de branded residences em São Paulo

O grupo ofereceu R$ 553,88 milhões pelo lote com as duas linhas que tinha lance mínimo de R$ 194,3 milhões (valor reajustado). A CCR detém 83% do consórcio. A outra empresa do grupo é a RuasInvest Participações. “Concessão é o caminho adequado para suprir necessidades de investimento do Estado e da União”, afirmou o presidente da divisão de mobilidade urbana da CCR, Leonardo Viana, logo depois do anúncio do resultado do leilão realizado na B3.

O valor estimado do contrato é de R$ 10,8 bilhões ao longo de 20 anos de concessão das duas linhas. O valor corresponde a receitas de operação e não operacionais, que incluem exploração comercial nas estações.

“Na vida pública, às vezes há um abismo entre o falar e o fazer. Mas São Paulo é sempre coerente. Estamos trazendo investimento ao Estado”, disse o governador paulista, Geraldo Alckmin, também presente no certame.

A expectativa de investimentos ao longo da concessão é de R$ 3 bilhões. A CCR e a RuasInvest já são parceiras na concessionária ViaQuatro, que opera a linha 4-Amarela do Metrô de São Paulo.

As ações da CCR tinha variação positiva de 0,7%, a R$ 16,01, por volta das 12h45. O Ibovespa subia 0,2%.

VEJA TAMBÉM: Primeiro centro de inovação do Facebook no mundo estreia em São Paulo

O outro proponente no certame desta sexta-feira foi o consórcio Metrô São Paulo, que ofereceu R$ 388,5 milhões pelas linhas. O grupo era constituído pelas empresas CS Brasil Transportes de Passageiros e Serviços Ambientais – do grupo JSL -, com 99,9%, e Seoul Metro,

Do lado de fora da B3, no centro da cidade de São Paulo, houve protesto dos metroviários contra a concessão das linhas, um dia depois da realização da greve.

Comentários
Topo