Embraer diz que parceria com Boeing deve preservar “antes de mais nada” interesse nacional

Divulgação
Comissão de Valores Mobiliários questionou a Embraer sobre a intenção da Boeing de incluir a divisão militar da companhia na parceria (Divulgação)

A Embraer disse que uma eventual parceria com a norte-americana Boeing deve preservar “antes de mais nada” os interesses estratégicos da segurança nacional, em esclarecimentos prestados à Comissão de Valores Mobiliários ontem (3) sobre notícias veiculadas na mídia.

LEIA MAIS: Boeing quer incluir área militar em associação com Embraer

O órgão regulador dos mercados no Brasil questionou a fabricante de aeronaves brasileira sobre reportagem na mídia nacional citando a intenção da Boeing de incluir a divisão militar da Embraer na parceria.

“A Embraer não possui neste momento elementos para manifestar-se sobre as atuais intenções da Boeing, bem como sobre a estrutura que uma potencial combinação de negócios entre as duas sociedades poderia concretamente vir a adotar”, disse a empresa em comunicado ao mercado.

“Eventual combinação de negócios com a Boeing deve preservar, antes de mais nada, os interesses estratégicos da segurança nacional”, informou a Embraer.

O governo brasileiro detém uma golden share da Embraer, que lhe garante o direito de veto a decisões estratégicas da companhia.

VEJA TAMBÉM: Embraer confirma discussão para potencial combinação de negócios com Boeing

A Boeing e a Embraer anunciaram no dia 21 de dezembro que estão discutindo uma combinação de seus negócios.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).