Negócios

GE projeta perda de US$ 11 bi no 4º trimestre

Flannery herdou uma série de problemas quando assumiu o cargo em 1º de agosto (iStock)

A General Electric aventou novamente a possibilidade de desmembrar o conglomerado, ao mesmo tempo em que anunciou mais de US$ 11 bilhões em encargos gerados pela área de seguros e por nova legislação tributária dos EUA.

LEIA MAIS: GE planeja cortar 4.500 empregos na Europa, diz fonte

O presidente-executivo, John Flannery, já havia levantado a ideia de um desmembramento antes, conforme corta milhares de empregos e se movimenta para reduzir US$ 3,5 bilhões em custos para combater a queda nos lucros e no fluxo de caixa no maior conglomerado industrial dos EUA.

Flannery herdou uma série de problemas quando assumiu o cargo em 1º de agosto, como queda de vendas de turbinas de energia, acúmulo de estoque e margens de lucro em declínio em algumas empresas.

Suas declarações de hoje (16) mostraram que a possibilidade de um desmembramento continua sendo cogitada na GE, embora não seja uma certeza. “Eu categorizaria isso como uma análise de opções e é o tipo de coisa que poderia resultar em muitos negócios diferentes, incluindo ativos negociados separadamente em qualquer uma de nossas unidades, se isso fizer sentido”, disse Flannery em resposta a uma pergunta de um analista em uma teleconferência, sem dar detalhes.

A empresa poderia anunciar uma separação no segundo trimestre, depois de uma revisão, informou a CNBC, citando fontes próximas à GE, acrescentando que um desmembramento é “provável”.

VEJA TAMBÉM: Conheça o bilionário que se tornou o rei da energia eólica no Brasil

Mais cedo nesta terça-feira, a GE disse que seu braço financeiro, a GE Capital, terá perda de US$ 6,2 bilhões no quarto trimestre decorrente de uma reavaliação de seus ativos de seguros.

O encargo da GE é o mais recente sinal de problemas com o modelo e financiamento de casas de repouso e outros cuidados de longo prazo nos Estados Unidos.

As mudanças tributárias recentemente aprovadas pelo Congresso dos EUA elevaram a cobrança da GE para US$ 7,5 bilhões, mais de duas vezes os mais de US$ 3 bilhões observados em novembro. A taxa significa que o lucro de 2017 da GE ficará na mínima de sua previsão, disse o conglomerado.

Comentários
Topo