Negócios

Google adquire time de desenvolvimento da HTC por US$ 1,1 bilhão

Getty Images

A divisão foi responsável não apenas por trabalhar nos celulares da marca HTC, mas também pelos trabalhos terceirizados nos celulares Google Pixel (Getty Images)

No ano passado circularam vários rumores de que o Google teria intenção de comprar a fabricante de smartphones HTC, que enfrenta problemas no mercado. No entanto, o acordo anunciado foi muito mais limitado do que se especulava. Hoje (31), o gigante de buscas revelou que adquiriu a maior parte do time de desenvolvimento da HTC por US$ 1,1 bilhão.

LEIA MAIS: Celular do Google enfrenta problemas e empresa envia desculpas a clientes

O Google diz que está adquirindo cerca de 2 mil engenheiros, desenvolvedores e funcionários de suporte no acordo. Esses profissionais não serão realocados, pois o Google já tem operações em Taiwan, local de origem da HTC. Fontes próximas ao acordo alegam que a fabricante de celulares está abrindo mão da maioria substancial da sua equipe de pesquisa e desenvolvimento. A divisão foi responsável não apenas por trabalhar nos celulares da marca HTC, mas também pelos trabalhos terceirizados nos celulares Google Pixel. A HTC diz, porém, que ainda tem um time de engenharia de primeira.

Esse movimento marca uma expansão substancial dos empreendimentos de hardware do Google. A primeira geração dos celulares Pixel foram desenvolvidos pela HTC sob a direção do gigante de buscas. O mesmo vale para a segunda geração do Pixel, mas, neste caso, a HTC dividiu a responsabilidade com a LG. Ter seu próprio exército de desenvolvedores de hardware poderia permitir que o Google assumisse a maior parte do trabalho preliminar e, em seguida, passasse fabricação para uma empresa como a HTC.

Além disso, a movimentação faz do Google um grande player na indústria de smartphones. Os celulares Pixel venderam relativamente pouco, mas o ex-time de pesquisa e desenvolvimento da HTC com os recursos do Google pode ser capaz de conquistar coisas incríveis. Ela também dá licença para as patentes da HTC como parte do acordo. O responsável por hardware, Rick Osterloh, declarou que espera que o Google venda um número significativo de smartphones nos próximos anos. Ter seus próprios designers dentro da empresa é um grande passo nessa direção.

Do ponto de vista da HTC, a injeção de US$ 1,1 bilhão mantém as luzes acesas, mas a empresa, que já foi um grande player no mercado de smartphones, continua em uma trajetória descendente. A empresa não tem um trimestre lucrativo em anos, e a Sprint é a única operadora dos Estados Unidos que ainda vende seus celulares. Repassar seu time de desenvolvimento para o Google não ajuda a reverter a situação. Na verdade, pode até acelerá-la.

 

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).

Comentários
Topo