Negócios

Netflix perde US$ 39 mi por escândalo envolvendo Kevin Spacey

Getty Images

Kevin Spacey é um dos grandes nomes da indústria do entretenimento a ser acusado de conduta sexual imprópria (Getty Images)

Um escândalo de conduta sexual imprópria envolvendo Kevin Spacey custou ao serviço de streaming de vídeos Netflix cerca de US$ 39 milhões no final do ano passado, conforme a companhia encerrou projetos associados com o ator, disse na segunda-feira (22) uma fonte com conhecimento da questão.

LEIA MAIS: Saiba o quanto Kevin Spacey pode perder depois das acusações de assédio

A Netflix informou que o prejuízo, divulgado em seu resultado do quarto trimestre, é relacionado a “conteúdo não divulgado que nós decidimos não seguir em frente”. Spacey, que teve uma carreira de sucesso no cinema, TV e teatro, é um dos grandes nomes da indústria do entretenimento a ser acusado de conduta sexual imprópria por pessoas que se manifestaram depois das acusações contra o produtor de cinema Harvey Weinstein.

O prejuízo da Netflix é um dos primeiros sinais públicos de custos financeiros a um estúdio ou produtora depois das acusações de condutas sexuais impróprias contra um indivíduo.

A fonte com conhecimento da questão disse que o prejuízo é relacionado aos projetos de Spacey. Representantes do ator não responderam aos pedidos de entrevista nesta segunda-feira. Mais de 30 homens acusaram Spacey de conduta sexual imprópria. O ator vencedor do Oscar foi cortado de “House of Cards”, drama político da Netflix no qual Spacey interpretava o presidente norte-americano Frank Underwood. A Netflix suspendeu em novembro a produção da sexta e última temporada da série. A Reuters não pôde confirmar de forma independente nenhuma das acusações. A Netflix também rompeu laços com outros projetos de Spacey, incluindo um filme sobre o falecido autor Gore Vidal.

Em uma webcast depois da apresentação dos resultados, o diretor financeiro da empresa, David Wells, disse que embora baixas aconteçam regularmente, “nós simplesmente não tínhamos tido uma desta magnitude e relacionada à redefinição social em torno de assédio sexual”. A Netflix informou em dezembro que a temporada final de “House of Cards” vai focar na personagem da atriz Robin Wright como a primeira presidente dos Estados Unidos. A produtora relatou na segunda-feira ter registrado 8,33 milhões de novos clientes no trimestre final do ano passado, 2 milhões a mais do que analistas previam, fazendo suas ações subirem mais de 7% depois do fechamento do mercado, uma máxima recorde.

Comentários
Topo