Startup tcheca cria coleiras e tigelas inteligentes para cachorros

Reprodução/FORBES
O que é excepcional sobre o Actijoy, segundo seus fundadores, é a comunicação entre os dispositivos e o software, programado para identificar em detalhes os movimentos, atividades e anormalidades no comportamento do cachorro. (Reprodução/FORBES)

Há criadores de startups de todos os formatos e tamanhos. Em comum eles normalmente possuem um desejo de ser bem-sucedidos e um suprimento interminável de energia. Esse fundador, no entanto, preferia dormir no sofá e coçar as orelhas. Seu nome era Darwin, um bull terrier miniatura. “Nós sempre falamos dele como um cofundador da marca. Sem ele, a Actijoy provavelmente não existiria. Nós começamos tudo isso graças a ele – e ele testou tudo voluntariamente, incluindo as longas horas de monitoramento de sono”, ri Jana Rosenfelderová, COO da marca, enquanto relembra o início da Actijoy, ideia que seu marido Robert Hašek teve há dois anos.

VEJA TAMBÉM: Alta costura canina: conheça as tendências da moda de luxo para pets

Hašek tinha decidido começar a correr para perder peso, e achou que Darwin poderia fazer o mesmo. “Eu disse a mim mesmo que começaria com uma corrida fácil de 5 quilômetros”, diz Hašek, que é CEO e fundador da empresa. “Mas, na metade do caminho, percebi que meu cachorro não chegaria tão longe quanto eu.”

Foi então que Hašek começou a pensar mais sobre a condição física de seu pet. Por ter perfil empreendedor e já ter iniciado diversas empresas (as mais bem-sucedidas foram as plataformas online de informação sobre reparos automotivos Nehoda.cz e Poptavky.cz), bastou um pequeno passo para transformar a ideia em um plano de negócios que poderia ser resumido em: tudo o que você sempre quis saber sobre o seu cachorro (mas tinha medo de perguntar).

Dois anos de testes, erros e acertos mais tarde, o casal conseguiu elaborar uma coleira com monitor de exercícios que contém um acelerômetro de seis eixos, giroscópio e bluetooth. Criaram também uma tigela que, além de medir o peso, pode determinar quanta água um cachorro bebe por dia, quanto ele come e até alertar, via app, quando é hora de trocar a água do bichinho.

Cada dispositivo, por si só, não é revolucionário. O mercado já oferece tais produtos, como a coleira de saúde PetPace, que também monitora a pulsação, e a tigela inteligente PetKit Fresh. O que é excepcional sobre o Actijoy, segundo seus fundadores, é a comunicação entre os dispositivos e o software, programado para identificar em detalhes os movimentos, atividades e anormalidades no comportamento do cachorro.

LEIA: Assinatura de caixas-surpresa para pets é tendência nos EUA

“Nós utilizamos uma câmera estabilizadora para reduzir a fadiga ocular quando tiramos fotos de cachorros correndo por aí, e também filmamos com um drone. O cachorro brinca, o monitorador grava o movimento, e o analista de dados observa e então programa o software para identificar o que o cachorro realmente está fazendo”, diz Hašek, descrevendo o processo de desenvolvimento do aplicativo Actijoy.

Hoje a startup ocupa o segundo andar da nova sede da Vafo em Praga, cujo chefe e único proprietário é Pavel Bouška. Vafo, que produz ração de cachorro – 90 mil toneladas por ano – de marcas como Brit e Carnilove, tem faturamento anual de cerca de US$ 157 milhões (US$ 33 milhões em lucro antes de impostos no ano passado), e investiu na Actijoy no ano passado.

“Isso apareceu em uma época em que eu estava firmemente convencido de que nunca investiria em uma startup”, ri Bouška, de 41 anos, cuja patrimônio é estimado em US$ 225 milhões. “Esse sentimento ainda existe, eu apenas fiz uma pequena exceção.” Seu objetivo de longo prazo, enquanto constrói um dos principais players europeus no mercado de comida para pets, é trazer para sua mesa todas as oportunidades de negócios interessantes ao redor do mundo. Ele simplesmente não conseguiu resistir a uma coleira e uma tigela inteligentes. Os fundadores da Actijoy o conheceram no ano passado na conferência de investidores Startup World Cup, em Praga, e rapidamente o convenceram a participar da iniciativa.

“Minha principal motivação é aperfeiçoar o produto”, diz Bouška, que investiu US$ 1,4 milhão em troca de uma fatia de um terço da Actijoy. “Eu amo criar coisas novas e eu consigo ver uma grande sinergia entre tecnologias inteligentes para monitorar as vidas de cachorros, sua saúde e sua nutrição. Eu também gosto dos planos ambiciosos da marca.”

E MAIS: Conheça os pets “oficiais” dos grandes estadistas

O investimento de Bouška levou a avaliação da empresa para, aproximadamente, US$ 4,2 milhões. Seu investimento em ações deve ser o suficiente para começar a produção e cobrir custos operacionais até o fim de 2018. Hašek e Rosenfelderova detêm a maior parte da empresa e, além de Bouška, há três outros acionistas (um especialista em TI e dois investidores financeiros) que estão a bordo desde o lançamento como investidores-anjo e que, agora, controlam apenas unidades de porcentagem.

Um dos “planos ambiciosos” da Actijoy é chegar às prateleiras em abril deste ano, focando principalmente no mercado norte-americano, com uma produção inicial de 10 mil conjuntos de monitor e duas tigelas. Segundo Hašek, o objetivo primário é vender metade de sua produção no primeiro ano, apesar de não descartar a possibilidade de entrar em uma cadeia de lojas maior nos Estados Unidos e caminhar muito mais rápido. No entanto, com o preço de varejo provisoriamente estabelecido em US$ 250, as vendas podem ser mais lentas. Os criadores, porém, não acham que o valor seja alto demais.

“Uma vez que nós trabalhamos na ideia, pegamos nossos dois filhos e fomos a São Francisco por três meses para ver o que iríamos encarar”, diz Rosenfelderová, lembrando da primavera e do verão de 2016 e de suas primeiras experiências em parques da cidade norte-americana e encontros com donos de cachorros. Foi nessa época que eles descobriram outro público-alvo em potencial, e um fenômeno que não é tão comum na Europa: passeadores de cães. Com os produtos da Actijoy, os proprietários podiam checar seus animais com muito mais facilidade.

Ao tentar me explicar por que seu dispositivo não é tão caro, Hašek diz: “Você nunca sabe por quanto tempo um passeador de cães de fato caminha com seu cachorro, e não há substituto para uma boa caminhada. Nossa coleira mostra se o cão estava realmente ativo, por quanto tempo ele brincou e quanto ele correu. O custo médio de um passeador de cães em Nova York é de US$ 30 por 20 minutos, Na Califórnia, em torno de US$ 20 ou US$ 30 por hora.” Nos Estados Unidos há 23 mil passeadores de cães registrados – e mais dezenas de milhares independentes – e metade da população canina está acima do peso.

LEIA TAMBÉM: 10 acessórios imperdíveis de luxo para pets

Outro cliente significativo em potencial, ou distribuidor, é o veterinário. Além da riqueza de informações sobre a atividade e a alimentação do animal, o app Actijoy também inclui um diário de saúde para registrar dados como vacinação. Todo o ecossistema do dispositivo é desenhado para alertar o dono de qualquer anormalidade na vida de seu animal que possa ser sintoma de um problema de saúde, seja beber muita ou pouca água ou acordar no meio da noite e permanecer acordado por horas. Qualquer atividade ou irregularidade do tipo resulta em uma notificação no celular.

O monitor funciona com uma bateria carregável via USB (que dura entre 10 e 12 dias por carga) e um transmissor bluetooth que se conecta ao celular quando você está na área de alcance. Se o seu cachorro estiver sozinho em casa, ele se conecta com a tigela inteligente assim que estiver ao alcance. A tigela contém um receptor bluetooth e Wi-Fi, que sincroniza todos os dados na internet por meio da rede da casa para que o dono possa sempre ver o que o cão está fazendo, mesmo de outro continente.

A tigela utiliza quatro pilhas AA (que duram cerca de três meses) e contém uma balança para medir o consumo de comida ou água. A vantagem é que toda a tecnologia fica acoplada na base, que pode ser facilmente removida para lavar a tigela. Dispositivos concorrentes não são tão simples nesse aspecto.

O público-alvo principal é, obviamente, os amantes de cachorros com um orçamento doméstico um pouco mais alto. As vendas podem ser interessantes no mercado europeu também. A loja online tcheca Alza.cz, líder do mercado em e-commerce da região da Europa central e do leste, já mostrou interesse em estocar o dispositivo. “Passeadores de cães na Europa são encontrados principalmente em cidades da Grã Bretanha e da França, enquanto alemães e escandinavos têm uma abordagem mais tcheca com seus cães, apesar de também serem muito interessados em sua saúde, o que abre a possibilidade de sucesso”, explica Bouška, que também fortaleceu seu posicionamento no mercado alemão com sua compra da marca local de comidas para pets Christopherus.

VEJA: A jovem empreendedora que descobriu como passar todos os dias com gatos

“Nosso objetivo é encorajar os donos a tomarem mais cuidado com seus cachorros”, diz Hašek. “Eles podem receber uma notificação em seus celulares à noite dizendo que ainda faltam 15 minutos para completar o objetivo diário com seu pet.”

Os criadores da Actijoy também estão jogando com a ideia de incluir outros dispositivos inteligentes relacionados a cachorros no futuro, além de planejarem manter o aplicativo básico para celular gratuito, com opções adicionais pagas como um treinador virtual. O app requer o cadastro da raça, idade, gênero e peso do cachorro, idealmente acrescentando também o tipo de comida que ele consome. A partir daí, é calculado o consumo calórico. Tempo de atividade, qualidade do descanso e tipos de movimento são monitorados primariamente, com a pulsação ainda não incluída.

O aplicativo também possui uma função que facilita a tarefa de tirar fotos com seu cão. Ao apertar o botão de disparo, o celular emite um som, normalmente um latido, para atrair a atenção de seu cachorro para que você possa tirar a selfie perfeita.

“Eu sempre pensei que nosso cachorro fosse razoavelmente ativo. Mas, graças ao monitor, eu descobri que ele corria apenas quando eu chegava na porta”, declara Hašek. “Ele cochilava o dia inteiro e se movimentava por apenas cerca de 20 minutos por dia. Isso não é suficiente. Os veterinários normalmente recomendam pelo menos uma hora de atividade diária.”

A próxima questão é se os norte-americanos vão adotar essa nova tecnologia para os seus pets tão rapidamente quanto adotaram os monitores de atividade para seu uso pessoal. Bouška está otimista – e colocou bastante dinheiro nisso.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).