Negócios

Porsche vai dobrar os investimentos em eletromobilidade

Cerca de US$ 622 milhões dos gastos adicionais serão usados para o desenvolvimento das variantes e derivados do Missão E (Reprodução/Forbes)

Porsche, a luxuosa marca de esportivos e fabricante de SUVs da Volkswagen, afirmou que pretende dobrar os investimentos em eletromobilidade para mais de US$ 7,5 bilhões até 2022, focando tanto em híbridos plug-in como em veículos completamente elétricos.

LEIA MAIS: Os carros esportivos que chegam aos EUA em 2018

“Estamos dobrando nossos gastos com eletromobilidade de cerca de US$ 3,6 bilhões para mais de US$ 7,5 bilhões”, anunciou Oliver Blume, presidente do conselho da Porsche em um comunicado. “Paralelamente ao desenvolvimento de nossos modelos com motores de combustão, estamos estabelecendo um importante caminho para o futuro com essa decisão.

Cerca de US$ 622 milhões dos gastos adicionais serão usados para o desenvolvimento das variantes e derivados do Missão E, que é totalmente elétrico. Outros US$ 1,2 bilhão serão empregados na eletrificação e hibridização dos carros existentes, incluindo a SUV Cayenne e a limusine Panamera.

Em novembro passado, a Volkswagen anunciou um plano de investimentos de US$ 40 bilhões em todo o grupo, que inclui Audi, Porsche e Bentley, a marca VW e as subsidiárias do mercado de massa SEAT e Skoda. A Porsche disse, na última segunda-feira (5), que a decisão de investir os US$ 3,6 bilhões adicionais foi realizada depois do anúncio.

Segundo a Porsche, o carro esportivo puramente elétrico Mission E 600 hp – que deve ser lançado no ano que vem – vai acelerar até 97 km/h quando estiver parado em menos de 3,5 segundos.

As vendas de automóveis aumentaram quase 4% – para 246 mil carros esportivos, sedãs e SUVs – em 2017, impulsionadas pelo sucesso do Macan, um compacto SUV. A Porsche advertiu que o crescimento pode diminuir em 2018, já que planeja proteger sua exclusividade.

VEJA TAMBÉM: Vendas de carros elétricos da GM poderá atingir metas em 2019, diz diretor na China

“Temos tudo o que é necessário para os próximos 70 anos, mas os riscos permanecem enquanto o mundo muda rapidamente”, disse Blume nas celebrações do 70º aniversário da empresa no mês passado. Segundo ele, o futuro da marca também depende do sucesso do Missão E.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br)

Comentários
Topo