3 dicas para sobreviver – e prosperar – em períodos de crise

Estar no mundo dos negócios significa que você, provavelmente, terá que lidar, em algum momento, com pesadelos de relações públicas ou gerenciamento de crises. Especialmente quando a empresa cresce e ganha ímpeto, os problemas também aumentam – ou, pelo menos, o potencial para problemas se torna maior.

LEIA MAIS: Por que a paixão não é o aspecto mais importante da carreira

Gerenciar situações que afetam a imagem da empresa e retomar o controle pode ser difícil, independentemente de você usar conteúdo para reverter o caso ou de ter um time de relações públicas especializado em gerenciamento de crise, as chances de você precisar de ajuda extra para acalmar a tempestade interna são grandes.

As crises não só têm o poder de comprometer o seu trabalho, mas também ameaçam a estabilidade emocional e os relacionamentos. É natural se incomodar com essas situações, mas aprender a lidar com elas e conseguir ter um pouco de paz interior também é importante. Mas como lidar com uma revolução interna quando a sua carreira está em risco?

Resista ao impulso do hiperfoco

Apesar de uma concentração intensa ser essencial para solucionar problemas diários, o pensamento focado também pode levar a algo chamado de estreitamento perceptual. Por exemplo: quanto mais tempo você pensa sobre um problema, mais limitada será a habilidade de acessar o método de pensamento necessário para solucioná-lo. É o tal rendimento decrescente.

O pensamento difuso é uma boa meta. Esse é um estado criativo que acontece frequentemente quando você quebra a rotina. E acontece naturalmente durante uma caminhada ou no sono. Se você já teve um momento de revelação genial durante um treino, seu cérebro provavelmente estava trabalhando no modo difuso. Manter a mente aberta faz com que você manterá as opções abertas também.

Não negligencie sua vida pessoal

Quem poderia focar em uma conversa com um amigo, um jantar ou filme quando o mundo está acabando? É normal uma crise nos consumir ou levar ao isolamento, pois não queremos que as outras pessoas vejam o nosso pior.

VEJA TAMBÉM: Por que a confiança é uma capacidade fundamental dos líderes

Mas ficar trancado em casa, fazer listas e andar agitado em círculos não ajuda. É importante viver o máximo possível. E mais: a vigilância constante requer um fluxo de adrenalina contínuo, o que deixa qualquer pessoa exausta. Você só terá energia para lidar com esses desafios quando se permitir um tempo de inatividade.

O corpo precisa de mais cuidado em situações como essa. Invista em si mesmo e dedique mais atenção a atividades como sono, alimentação e exercício físico. Essa rotina poderá salvá-lo e ajudar na prevenção de novos erros durante um tempo.

Por que a reação de “lutar ou fugir” não funciona em uma crise

Todos enfrentam crises. Nesses casos, nosso instinto tende a acionar o modo “lutar ou fugir”. Entretanto, para desafios modernos, essa resposta não funciona, pois a crise pode durar por algum tempo. Estamos tratando de tópicos como litígios sem fim, longos processos de divórcio ou escândalos persistentes.

“Abandonar hábitos, rotinas e relacionamentos essenciais para focar na crise é um ato quase que imediato”, diz Cat Castellanos, fundadora da Sidestep Strategies, que se considera a primeira companhia de gerenciamento de crise em Los Angeles. E continua: “Costumamos dizer a nós mesmos que a vida vai seguir quando as ‘coisas melhorarem’. Se soubéssemos a data de término do caos, a situação não seria chamada de crise. Você nunca sobreviverá à tempestade exterior se não souber gerenciar tempestade interna”.

Veja, na galeria de fotos a seguir, 3 dicas para sobreviver – e prosperar – em períodos de crise:

  • 1) Volte ao normal depois do choque inicial

    Quanto mais tempo o corpo passa em um estado de estresse, mais se perpetua o medo e a ansiedade. Assim que o choque passar, faça o possível para se acalmar. Trabalhe ativamente para instruir o seu organismo de que está tudo normal.

    Abandonar a rotina é o mesmo que mergulhar em água gelada – ambas colocam seu sistema em choque. Manter a normalidade vai dizer ao cérebro que, apesar de você estar passando por um momento difícil, a maioria das coisas está funcionando como de costume.

  • 2) Não aja imediatamente

    É natural querer sair de uma crise o mais rápido possível. O instinto de seguir o seu interior e tomar decisões rapidamente provavelmente não vai tirar você da situação. Em vez disso, desacelere. É desconfortável estar em um momento de crise, mas é muito mais importante tomar a decisão certa do que se apressar e piorar, ainda mais, as consequências.

  • 3) Não fique sozinho

    Constrangimento, medo e vergonha podem incentivá-lo a lutar sozinho, mas você nunca deve agir a partir do medo. Encontre seus defensores. Crie um time. Procure profissionais que o ajudem a gerenciar tanto crises externas quanto internas.

    Talvez façam parte da sua equipe advogados, agentes, relações públicas, amigos, sócios, terapeutas, conselheiros espirituais, entre outros profissionais, mas existem dois requisitos.

1) Volte ao normal depois do choque inicial

Quanto mais tempo o corpo passa em um estado de estresse, mais se perpetua o medo e a ansiedade. Assim que o choque passar, faça o possível para se acalmar. Trabalhe ativamente para instruir o seu organismo de que está tudo normal.

Abandonar a rotina é o mesmo que mergulhar em água gelada – ambas colocam seu sistema em choque. Manter a normalidade vai dizer ao cérebro que, apesar de você estar passando por um momento difícil, a maioria das coisas está funcionando como de costume.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).