Cargill anuncia investimento de R$ 150 mi em Uberlândia

No valor total do investimento, também está incluído um sistema que proporcionará redução de aproximadamente 30% de consumo de água potável

A Cargill anunciou ontem (23) que investirá R$ 150 milhões na unidade da companhia em Uberlândia (MG), em projetos que incluem uma nova linha de soluções para pecuaristas de corte e leite no mercado brasileiro e a produção de amido modificado que proporcionará produtos alimentícios de maior valor agregado.

“Com o objetivo de aumentar o valor agregado dos produtos e ingredientes comercializados e alcançar a excelência operacional com eficiência e sustentabilidade das operações, estamos investindo na unidade de Uberlândia”, disse Laerte Moraes, diretor do negócio de Amidos, Adoçantes e Texturizantes da Cargill América Latina, em comunicado.

No valor total do investimento, também está incluído um sistema que proporcionará redução de aproximadamente 30% de consumo de água potável.

A Cargill não dividiu em nota os montantes que investirá nos empreendimentos, que deverão ser inaugurados até o final de 2018. Segundo a empresa, a unidade de Uberlândia é um dos maiores complexos industriais do país.

A companhia iniciou suas operações na cidade em 1986, ampliando a fábrica em 1990, com a construção da unidade de Amidos e Adoçantes. Em 2000, construiu a fábrica de Acidulantes. Hoje, 1.118 funcionários trabalham na maior unidade fabril da Cargill no Brasil.

Segundo a empresa, a nova unidade de dieta úmida para ruminantes proporcionará a criação de uma melhor alternativa para pequenos e médios pecuaristas brasileiros. “O projeto é um avanço na indústria de nutrição animal, uma vez que não há uma solução similar para pecuaristas de corte e leite no Brasil. Para isso, faremos a mistura e homogeneização de ingredientes nutricionais buscando dietas balanceadas para ruminantes”, disse Moraes. A fábrica terá capacidade para produzir 60 mil toneladas ao ano.

Na área de amidos, a companhia passará a produzir produtos modificados em Uberlândia para atuar de forma mais relevante neste mercado.

As obras já foram iniciadas e vão gerar 600 empregos. Quando finalizados, os projetos abrirão 20 novas vagas para operação e 80 empregos indiretos relacionados à manutenção e logística, segundo a Cargill.

SUSTENTABILIDADE

Um dos projetos que será colocado em prática a partir deste ano é a reutilização de água residuais tratadas por meio de modernos processos de purificação com sistemas de membranas filtrantes que removerão contaminantes orgânicos e inorgânicos, informou a empresa.

“Vamos reutilizar 95 m³/h de água tratada no processo das torres de resfriamento, o que permitirá a redução de aproximadamente 30% de consumo de água potável no site de Uberlândia”, disse Moraes.

Essa quantidade equivale ao consumo diário de uma população de 17 mil habitantes, segundo a empresa.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).