Natura lucra 23% mais no 4º trimestre

iStock
Natura teve lucro líquido consolidado de R$ 256,8 milhões no (iStock)

A empresa de cosméticos Natura teve lucro líquido consolidado de R$ 256,8 milhões no quarto trimestre, alta de 23% ante igual período de 2016, e antecipou em um ano a projeção da meta de endividamento em relação ao Ebitda.

LEIA MAIS: Natura é a 14ª empresa mais sustentável do mundo

O resultado operacional da Natura medido pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) consolidado cresceu 36% na comparação anual, para R$ 628,4 milhões. A margem sobre o Ebitda consolidado, no entanto, recuou 3,3%, para 16,8% nos três últimos meses do ano passado.

A Natura encerrou o ano com endividamento líquido de 3 vezes o Ebitda, abaixo do nível projetado pela empresa, de 3,6 vezes.

Separadamente, a empresa informou ainda que antecipou em um ano sua meta de atingir a relação dívida líquida/Ebitda de 1,4 vez para dezembro de 2021, ante dezembro de 2022.

“A atualização foi realizada com base no desempenho atual da companhia e considerando um sólido processo para revisão das premissas, tendências e cenários, de forma que a administração está confiante de que a companhia pode atingir o nível de endividamento do período prévio à aquisição da The Body Shop já em 2021, antecipando em um ano a projeção original”, informou a empresa em fato relevante.

VEJA TAMBÉM: UNDER 30 de FORBES Brasil terá indicações online

O período de outubro a dezembro marcou o primeiro trimestre completo com os dados da The Body Shop e, segundo a Natura, traz resultados “encorajadores, com evolução das vendas, Ebitda e margem Ebitda”.

Nos últimos três meses do ano passado, a Natura registrou crescimento de 62,7% da receita líquida consolidada, para R$ 3,73 bilhões. Deste total, a Natura respondeu por R$ 2,27 bilhões, enquanto as marcas The Body Shop e Aesop registraram receitas líquidas de R$ 1,211 bilhão e R$ 250 milhões, respectivamente.

A marca The Body Shop encerrou o ano passado com 1.099 lojas próprias, após 40 aberturas e 75 fechamentos, resultando em uma redução líquida de 35 lojas. Já o número de lojas franqueadas permaneceu estável em 1.950 unidades no final de 2017.

Em seu comunicado sobre projeções, a Natura manteve as estimativas de Ebitda e margem Ebitda para a marca The Body Shop. Para o exercício social encerrado em dezembro de 2019, a Natura prevê Ebitda de R$ 110 milhões a R$ 115 milhões e margem Ebitda entre 10% e 11%. Já para 2022, a empresa projeta um Ebitda de R$ 165 milhões a R$ 181 milhões e uma margem Ebitda entre 12% e 14%.

DIVIDENDOS

O conselho de administração da Natura aprovou ontem (14) a proposta, que será submetida à assembleia geral ordinária e extraordinária em 20 de abril, de pagamento em 11 de maio de dividendos relativos aos resultados de 2017 e juros sobre capital próprio referentes ao mês de dezembro de 2017, no montante de R$ 128,7 milhões e R$ 6,8 milhões, respectivamente.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).