Cofundadores da Snap perdem US$ 1,3 bilhão em apenas um dia

Getty Images
Na terça-feira, Spiegel e Murphy tinham um patrimônio de US$ 3,2 bilhões

Os cofundadores da Snap, Evan Spiegel e Bobby Murphy, perderam, juntos, US$ 1,3 bilhão ontem (2) – valor equivalente a um quinto de seus patrimônios líquidos – depois que o fraco relatório de resultados derrubou as ações em 20% no final da terça-feira (1). O valor dos papéis caiu ainda um pouco mais durante o pregão de ontem.

LEIA MAIS: Presidente do Snapchat ganha US$ 638 mi em 2017

Na terça-feira, Spiegel e Murphy tinham um patrimônio de US$ 3,2 bilhões. No final de ontem, suas fortunas registravam queda de 20,5%, para US$ 2,5 bilhões. Os patrimônios líquidos dos cofundadores estão basicamente atrelados às ações da Snap, sendo que cada um deles possui cerca de 18% da empresa.

Depois do fechamento do mercado, a Snap anunciou que não havia alcançado as expectativas de Wall Street em relação à receita e ao crescimento de usuários, apesar de mudar o design do app em janeiro. A revisão do aplicativo trabalhou para separar o conteúdo pessoal do conteúdo de mídia e publicidade de maneira mais distinta. Usuários e anunciantes, no entanto, não aprovaram a atualização, classificando-a como confusa e pouco intuitiva. A empresa reportou lucro de US$ 230,7 milhões, valor menor que o esperado pelos analistas, de US$ 243 milhões. A rede ganhou 4 milhões de usuários diários, embora os especialistas esperassem 7 milhões de usuários novos.

Spiegel, CEO da Snap, tentou acalmar os investidores, que se mostravam preocupados, durante a conferência de resultados. “Embora nossa decisão de migrar os negócios de Snap Ads para nosso leilão programático tenha levado a uma desaceleração de curto prazo em nosso crescimento de receita no ano passado, fizemos a transição rapidamente e a empresa está muito melhor para isso”, disse ele.

Samuel Kemp, analista da Piper Jaffray, citou preocupações mais profundas em uma nota enviada aos investidores. “Há uma série de razões para a operação insatisfatória – mudanças no leilão de anúncios, novos designs do aplicativo, ciclos de notícias negativos, confiabilidade do produto -, mas acreditamos que isso reflete um desafio mais simples: a Snap é uma empresa mal estruturada que está demonstrando um padrão claro de má administração”, escreveu Kemp.

VEJA MAIS: Snap tem receita e usuários abaixo do esperado

A rede social também enfrenta forte concorrência do Instagram, que lançou sua própria versão de um recurso de compartilhamento de 24 horas chamado Instagram Stories, em agosto de 2016, que é quase idêntico ao produto da Snap. “A pressa repentina da Snap para lucrar pode prejudicar sua capacidade de investir adequadamente na melhoria de seu produto, que passa por dificuldades”, informou Kemp.

A Snap foi listada na Bolsa de Valores de Nova York em março de 2017. Spiegel e Murphy encerraram o dia do IPO com fortunas de US$ 5,4 bilhões cada um, tornando-se os únicos bilionários do mundo com menos de 30 anos cujas fortunas vieram, quase inteiramente, de ações de uma companhia pública.

A empresa tem decaído desde a estreia na bolsa. Em agosto de 2017, Spiegel e Murphy perderam, juntos, um total de US$ 1 bilhão de seus patrimônios líquidos depois de uma decepcionante campanha de ganhos, em que a empresa, mais uma vez, frustrou as expectativas de receita, lucro e crescimento de usuários.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).