Por que o Alibaba é mais lucrativo do que a Amazon

Getty Images
No trimestre mais recente, a margem operacional do Alibaba, de Jack Ma, foi de 31,25%, enquanto a da Amazon foi de apenas 2,31%

Alibaba e Amazon estão no negócio certo, no momento exato. E ambos têm suas próprias fórmulas de sucesso, que deram grandes retornos aos seus acionistas.

LEIA MAIS: Alibaba supera expectativas na receita no trimestre

As ações do Alibaba aumentaram 63,97% nos últimos 12 meses e 146,15% nos últimos dois anos, enquanto as ações da Amazon cresceram 67,76% e 121,44% no mesmo período.

Embora não esteja claro qual das duas empresas fornecerá melhor desempenho aos seus acionistas em longo prazo, uma coisa é clara: a fórmula de sucesso do Alibaba supera, consistentemente, a da Amazon em uma métrica-chave – as margens operacionais.

No trimestre mais recente, a margem operacional do Alibaba foi de 31,25%, enquanto a da Amazon foi de apenas 2,31%.

O modelo de negócios do gigante chinês de compras online é mais lucrativo do que o concorrente norte-americano devido a uma diferença fundamental nas formas como as duas empresas abordam e monetizam o comércio eletrônico. A abordagem da Amazon é colocar a economia de custo do Walmart online. “Essa abordagem criou uma varejista baseada em um modelo de alto volume e baixo custo, que dependia de escala e de tecnologia para gerar economia de custos”, explica Porter Erisman, autor da obra “Six Billion Shoppers” (sem versão em português).

Ao contrário da empresa norte-americana, o Alibaba traz o empreendedorismo coletivo online, um modelo de negócio de rede que transforma os fornecedores que disponibilizam seus produtos no site Taobao em empreendedores.

VEJA TAMBÉM: Alibaba compra fabricante de chips

De certa forma, o modelo do Alibaba para o comércio eletrônico é semelhante ao do eBay. “A abordagem do eBay era mover a economia de vendas de garagem para o mundo digital, criando um mercado para produtos usados ​​e colecionáveis”, observa Erisman. “O Taobao tem como meta mover negócios de família e independentes para o ambiente online, onde pequenos varejistas poderiam abrir lojas para vender itens novos.”

Essa é uma fórmula melhor para o sucesso do que a da Amazon. O empreendedorismo coletivo ajuda o Alibaba a enriquecer enquanto transforma centenas, ou até milhões, de pessoas em empreendedores, tirando muitos da pobreza e até tornando alguns deles ricos.

Esse modelo funciona particularmente bem em países como a China, que é, de longe, o maior mercado de internet do mundo – duas vezes o tamanho do mercado norte-americano. Ainda assim, o padrão do Alibaba não cobra taxas de listagem e não tem depósitos para manter estoques, o que torna muito provável que seja copiado por outros muito mais facilmente do que o modelo da Amazon.

Esse é, especialmente, o caso da economia de internet na China, que é altamente competitiva, com novos concorrentes aparecendo rapidamente e corroendo as margens operacionais.

Enquanto isso, as regulamentações governamentais criam um estado de transição para empresas chinesas privadas. O governo pode, rapidamente, transformar-se de um aliado para um inimigo. É por isso que os investidores devem observar com muito ceticismo a fórmula do Alibaba para o sucesso.

 

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).