Startup promete reduzir o número de peças no closet

Reprodução/FORBES
Laura Forman e Ashley Howerton são as idealizadoras da TILDEN, marca que cria roupas que podem ser usadas da gravidez à fase do corpo sarado

Eu comprei o meu vestido favorito quando estava grávida de 30 semanas. Não era um vestido próprio para gestante, nem uma túnica. Caso você esteja pensando que eu era uma daquelas mulheres grávidas que pareciam uma pessoa magra com uma bola de basquete na barriga, enganou-se. Eu, definitivamente, parecia grávida de costas e de lado, e não havia números suficientes para quantificar o tamanho dos meus seios.

LEIA MAIS: Conheça as “criações transgênicas”, a moda que caiu no gosto do consumidor brasileiro

Por volta do fim da minha gravidez, parti para uma turnê nacional de divulgação do meu livro, me sentindo – e parecendo – uma tenda de circo. Como eu trabalhei em casa durante a maior parte da gestação, usava as blusas e as calça do meu marido. Mas nenhuma dessas peças seria indicada para uma apresentação em uma livraria ou uma participação no “Today Show”.

Eu já estive em lojas de roupas para gestantes e elas fizeram com que eu sentisse que tinha a mesma idade da minha avó – além de inexplicavelmente grávida. Eu também não queria comprar um novo guarda-roupa que usaria por apenas alguns meses. Allém de ser um desperdício, seria caro.

Foi nesse período que fui apresentada a TILDEN. O princípio da loja online está baseado no fato de que você não precisa estar grávida para entrar no seu closet e sentir que nada serve para você – basta ser uma mulher. É por isso que o objetivo da marca é vender apenas roupas de alta qualidade que permitem que você mude de tamanho sem ter que substituir seu guarda-roupa, independentemente de a mudança resultar de uma gravidez ou simplesmente do aumento de peso. Comecei a pensar neles como curadores de roupas com espaço para crescer e encolher.

A cofundadora Laura Forman, mãe de dois filhos, me disse que a TILDEN foi inspirada pelas mudanças dramáticas que seu corpo passou durante os períodos de gestação em Wall Street, cercadas por homens. “Eu vivi essa luta em meio a um mar de homens que pensaram que assumiriam meu trabalho no momento em que eu desse saísse para ter o bebê”, lembrou ela. “Puxando calças de maternidade amarrotadas sob um vestido enorme, houve dias em que eu acreditei que isso aconteceria.”

Laura encontrou alguém disposto a ajudar nesse projeto: sua colega de classe de Princeton, Ashley Howerton, que passara o tempo desde a formatura em empresas como GAP, eBay e Rent the Runway. Tendo estudado os desafios que os varejistas enfrentam de dentro para fora, Ashley sabia que os problemas de adaptação que Laura estava enfrentando eram universais – estivessem as mulheres grávidas ou não. “Não importa o tamanho que tenhamos ou em que estágio da vida estamos, a confiança de todos é afetada quando nossas calças não fecham direito”, diz Ashley.

VEJA TAMBÉM: Alta costura canina: conheça as tendências da moda de luxo para pets

Esse foi o momento que as duas reconheceram a lacuna que havia no mercado. “Sempre pensei na moda como uma maneira divertida de se expressar”, disse Laura. “Mas quando engravidei, percebi que a roupa – ou seja, o tamanho dela – está intimamente ligada à nossa identidade.”

Eu poderia me identificar. Eu estava grávida. Nada me serve. Eu ,então, contatei a TILDEN.

A curadoria da empresa consiste em marcas que eu já tinha usado antes de engravidar e amava, como A.L.C., Vince e Equipment. Ashley e Laura trabalham em colaboração com seus parceiros de design para garantir que cada peça que eles carregam ofereça máxima versatilidade. Ou seja, isso fará com que você fique bem depois de atividades físicas intensas, mas também depois de comer em excesso no escritório. Você ficará praticamente a mesma depois de uma dieta só de sucos ou no segundo dia de um período de inchaço. São peças que você pode usar quando estiver grávida de oito meses e oito meses depois do parto.

As cofundadoras da empresa estão constantemente à procura de novos tecidos que suavizem as curvas, cortes que vistam melhor e detalhes que pareçam atuais, mas também tão atemporais quanto possível. “Todos os dias as mulheres se envolvem em um impasse com o armário”, disse Laura. “Queremos ter certeza de que elas sempre vençam.”

Elas me ajudaram a encontrar roupas para sair bem na câmera e para os eventos formais dos quais eu tinha que participar, incluindo meu novo vestido favorito, que ainda me serve e parece ótimo 10 meses depois do parto.

No ano passado, a TILDEN foi uma startup que atendeu muitos clientes em um minúsculo apartamento de um quarto no bairro de Presidio Heights, em São Francisco. Hoje, atende |mulheres do mundo todo, incluindo celebridades da elite do Vale do Silício e de Hollywood, como Jessica Alba e Julia Stiles.

Ashley disse que aconselha as clientes a manter os armários enxutos, inspirados na obra de Marie Kondo, “The Life Changing Magic of Tidying Up” (“A Mágica da Arrumação” – A Arte Japonesa de Colocar Ordem na sua Casa e na sua Vida”) . O objetivo da TILDEN é ajudar as mulheres a evitar o clássico remorso do comprador em primeiro lugar, pensando em tamanho e caimento de uma maneira mais estratégica..

Ashley culpa o varejo para mulheres, não a mulher. “A indústria não está interessada em resolver o problema porque adora a ideia do consumidor constante”, diz a empresária.

Outro problema, diz Ashley, é uma desconexão entre a variedade de tamanhos disponíveis em uma loja e os tipos limitados de corpos das modelos usadas ​​para ajustá-los. “O mundo tem muitos tipos de silhuetas, mas as empresas são pressionadas a operar economicamente. Mesmo entre os tamanhos, há muitas formas.” Neste caso, explica Ashley, você pode ser numericamente do mesmo tamanho, mas descobre que uma peça não combina com seu corpo porque você tem proporções diferentes.

A empreendedora disse, ainda, que procura por uma construção de vestuário ou flexibilidade de tecido que ela sabe que pode eliminar essas inconsistências, e faz questão de evitar outras que percebeu causar problemas em sessões de adaptação no passado. “Estamos tentando tornar o processo de compra um pouco mais transparente para nossas clientes, por isso, se elas virem algo que gostam em nossa modelo online, garantimos que há uma probabilidade muito alta de que a roupa se adapte ao seu corpo em casa.” Nos próximos meses, a TILDEN revelará sua própria linha, oferecendo o melhor em termos de flexibilidade.

De muitas maneiras, a marca está atacando o problema de maneira oposta a de muitos de seus concorrentes, afastando-se da especificidade do tamanho para um ajuste mais flexível. Enquanto outras empresas estão se voltando para o meio-tamanho, alfaiataria personalizada e até mesmo a impressão 3D, a TILDEN não está apenas focada no que vai vender hoje, mas no que vai caber amanhã.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).